Diamonds are a girl's best friend!
Sem saber muito sobre o que escrever neste primeiro post, resolvi recorrer à um filme- que assisti ontem à noite, para ser bem precisa. Sem saber se é pela minha estranha fixação por coisas antigas, ou se é por causa da biografia de Marilyn Monroe escrita pelo americano J. Randy Taraborrelli que estou lendo no momento (leia-se desde janeiro, cof cof) , a escolha foi "Os Homens Preferem as Loiras", de 1953.

O enredo do filme é bem simples, sem muito segredo. Dirigida por Howard Hawks, a comédia-romântica traz duas dançarinas: Dorothy e Lorelei, vividas por Jane Russell e Marilyn Monroe, respectivamente (na época o nome de Marilyn ainda não aparecia como o primeiro do elenco e ela recebeu menos da metade do salário de Russell para participar do filme). À convite do milionário Gus Esmond (Toddy Noonan), noivo de Lorelei, as duas amigas viajam à Paris em um cruzeiro. A viagem é, na verdade, um plano de Gus para testar a fidelidade de Lorelei; ele chega até a contratar um detetive particular, interpretado por Elliott Reid, para espionar a moça.

Como fica claro, desde o início do filme, Lorelei é uma mulher que se importa bastante com posses e dinheiro, além de ser completamente louca por diamantes. Na cena de abertura do longa, enquanto canta "Two Little Girls From Littlerock" ela explica que não importa se o homem é novo, velho, alto, baixo, magro ou gordo; o que importa é se ele é rico ou pobre. Dessa forma, ao embarcar no cruzeiro, nenhum dos homens da equipe de atletismo que lá também estavam lhe chamou a atenção, ao contrário de Sir Francis Beekman (Charles Coburn), um homem casado, rico e bem mais velho que se sente atraído por Lorelei. A partir de então, é uma confusão atrás da outra.

"Os Homens Preferem as Loiras" é um musical divertido, com belos figurinos, músicas marcantes e atuações impressionantes também. Porém, nada prende tando a atenção do espectador como Marilyn Monroe. Não dá para explicar o que acontece, pois mesmo por trás de todas aquelas caras e bocas - por vezes, meio forçadas - meus olhos não conseguiam parar de olhar para Marilyn. Linda, alegre e - por que não? - talentosa.

1953 foi um ano importante na carreira de Monroe, pois foi quando alcançou o estrelato e o posto de diva do cinema que ocupa até os dias atuais. Até então, ela só havia interpretado papéis pequenos em grandes produções. Ainda naquele ano, Marilyn pode ser vista em "Torrentes de Paixão" e "Como Agarrar um Milionário". É interessante mencionar que a Fox pensou em contratar Betty Grable para participar da produção, mas optou por Marilyn, por acreditar que ela traria maior sex appeal para o filme. A escolha foi tão certa que até o fim de sua carreira, Marilyn lutou para se livrar da imagem de loira poderosa e sedutora, porém bobinha e fútil.

O ponto alto de "Os Homens Preferem as Loiras" é sem sombra de dúvidas o número "Diamonds Are a Girl's Best Friend", interpretado por Marilyn vestida com um longo vestido rosa, acompanhada por vários homens de smolking. A cena foi tão marcante que já recebeu inúmeras citações no mundo pop como o videoclipe de "Material Girl", de Madonna, e uma releitura do número feita por Nicole Kidman em "Moulin Rouge" (2001). A mais recente delas pareceu na série adolescente Gossip Girl.

Nota do futuro (28.11.2016): apesar de o arquivo do blog indicar a existência de posts anteriores, este é o primeiro post oficial do La vie en rose..., o antigo nome deste espaço.


Deixe um comentário