"Um verão para toda vida" é um filme australiano baseado no românce homônimo de Michael Noonan e dirigido por Rod Hardy. Situado na década de 1960, o filme conta a história de um verão na vida de Maps (Daniel Radcliffe), Misty (Lee Cormie), Spit (Drew McAlistair) e Sparks (Christian Byers), também conhecidos como os "december boys" - ou "aniversariantes de dezembro" - , quatro garotos órfãos que vivem em um orfanato católico no deserto australiano.

Acostumados a verem crianças pequenas sendo adotadas, as esperanças de adoção dos garotos diminui a cada dia. Porém, quando são enviados - como um presente de aniversário da madre superiora do orfanato - para passar o verão em uma cidadezinha litorânea, os protagonistas começam a enxergar uma luz no fim do túnel. Hospedados na casa dos McAnsh, um casal idoso, os jovens logo começam a explorar a região e se interessam principalmente por um casal vizinho - "Fearless" (Sullivan Stapleton) e Teresa (Victoria Hill) - que não consegue ter filhos e que começa a cogitar a possibilidade de adoção. Maps - o mais velho dos quatro - está no auge de sua adolescência e encontrará em Lucy (Teresa Palmer) o perfeito primeiro amor. Também conhecem Shellback (Ralph Cotterill), um velho pescador fascinado por um grande peixe chamado Henry, que vive na região há muitos anos e que nunca se deixou pescar.

Diante da possibilidade de adoção, os quatro amigos/irmãos inseparáveis começam a competir entre si, para mostrar à Fearless e Teresa quem poderia ser o melhor filho em potencial. Ao mesmo tempo, enfrentam o sentimento de rejeição durante uma das fases de transição mais frustrantes na vida de um ser humano: a adolescência. É um momento de questionamento, de decepções, da perda da inocência e de solidão.

Falando de uma maneira geral, "Um verão para toda vida" é aquele tipo de filme que você tem que assistir para sentir a essência, compreender a mensagem. O enredo pode parecer simples, mas há uma profundidade reflexiva absurda. É um filme sobre família, amor e amizade. Sobre os vínculos criados entre as pessoas. Sinceramente, acho que este é um dos filmes mais bonitos que já assisti até o presente momento.

O elenco, apesar de não muito conhecido - aliás, não conhecia ninguém além do Daniel Radcliffe -, é ótimo; a fotografia é belíssima, assim como os ângulos de filmagem; a trilha sonora dispensa qualquer tipo de comentário, de tão perfeita que é. Desde Who'll Stop the Rain?, do Creedance Clearwater Revival, passando pelas composições originais de Carlo Giacco, até chegar ao tema principal, December Boys, composto e cantado por Peter Cincotti, a trilha sonora do filme não deixa a desejar em absolutamente nenhum aspecto, conferindo inclusive, um belíssimo tom à narrativa. 


4 Comentários

  1. Adorei o post, o filme parece ser maravilhoso, emocionante, empolgante e tudo mais realmente. Vou procurar para assistir e depois de ter feito isso aqui, volto para te dizer mais.. rs
    Tô te seguindo aqui viu?
    O Lay novo tá legal, beijo :*

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito do layout novo!
    O filme parece ser bem legal ' Uhuu década de 60!
    E ainda tem o Daniel Radcliffe no elenco, que interessante.
    O único filme com ele que assisti, sem ser o Harry Potter, foi
    A Mulher de Preto.
    Beijão e bom findi <3

    ResponderExcluir
  3. Jah segui um milhão de vezes pq ta muito liiiindo esse blog!
    SO NAUM CURTI PQ NAUM ACHEI A CAIXINHA DE CURTI
    ARRAZOU

    Me segue e curti de volta?
    http://amandasartorio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Nossa, quero ver esse filme agora! A gente chora no final?!
    Deve ser muito lindo!

    Ah, adorei o novo layout!

    BJão!

    ResponderExcluir