Não vou mentir. A minha ideia inicial era preparar um post/vídeo falando um pouco sobre livros de terror que eu tenha lido. Porém, acabei por perceber que não li muitos livros de terror na vida, apesar de ter uma boa quantidade deles aqui em casa. O motivo? Desconhecido, meus caros leitores. Com isso em mente e para não deixar a data passar em branco por aqui, resolvi falar um pouquinho sobre livros que não são de terror mas que, de alguma forma, me deram calafrios em determinados momentos. Sem mais delongas, vamos lá?


Ok, todo mundo sabe que, apesar de apresentar bruxas, o universo de Harry Potter não é propriamente de terror. Mas ainda assim, não há como negar a existência de alguns momentos um tanto ~sinistros~, né? Li A Câmara Secreta quando tinha 12 anos e não me envergonho ao dizer que morria de medo de andar sozinha em casa à noite, porque achava que ia escutar uma voz assustadora saindo das paredes. Pronto, tá aí, confessei! A verdade é que, de todos os livros da série, o segundo é o que mais me fez sentir aquela atmosfera de mistério/suspense que faz o leitor não saber o que esperar e morrer de medo ao mesmo tempo.


Sinceramente, fiquei na dúvida se esse livro é ou não de terror. Se não for, com toda a certeza, traz alguns elementos do gênero em sua narrativa. Não é segredo que Zafón consegue criar muito bem o clima para as suas histórias, que normalmente vêm acompanhadas de mistérios.

Com Marina não poderia ser diferente. Um belo dia, Oscar decide matar aula e, passeando pela Barcelona dos anos 70, acaba por encontrar um casarão abandonado de onde parece sair uma música. Curioso, o rapaz decide investigar e acaba "esbarrando" em mais mistérios que datam de muitas décadas atrás. Mas não se engane, caro leitor, o livro não segue a linha de romance policial. Tá mais para história de fogueira de acampamento, cheia de elementos bizarros e uma "pitadinha" de Frankenstein (que eu não li, logo, não posso afirmar com tanta certeza essa última parte, rs). Li Marina em um dia muito frio e chuvoso, que só acrescentou ao clima assustador da narrativa. Recomendo bastante a experiência. Para conferir a resenha, clique aqui.


Mais uma vez: Zafón sabe muito bem como criar o clima de suas histórias. Se ele arrasou ao construir o mistério em A sombra do vento, acreditem quando digo que arrasou ainda mais em O jogo do anjo - segundo livro publicado da série do Cemitério dos livros esquecidos, mas com acontecimentos anteriores aos de A sombra do vento. Só consegui começar a compreender esse livro após a leitura da terceira parte da série, lançada no ano passado. 

O enredo: Barcelona, anos 1930. Davi Martín é um escritor bastante desventurado. Não consegue publicar nenhum livro, trabalha para um jornal que lhe paga muito mal e vive em uma pousada/pulgueiro. Em tais situações, acaba por aceitar a proposta de um editor estrangeiro, que afirma conhecer seu trabalho e lhe encomenda um livro capaz de abalar os rumos da História e da humanidade. Pode não parecer muito assustador, mas afirmo que sim, é muito assustador! A atmosfera de suspense não abandona as páginas, que trazem também um mistério do passado e elementos um tanto ~estranhos~, que fazem o leitor questionar se o que é narrado está acontecendo ou não. Para entender um pouco melhor, leia a resenha que escrevi no ano passado.


A verdade é a seguinte: as fotografias em O orfanato da Srta. Peregrine para crianças peculiares me assustaram mais que a história em si. Ransom Riggs nos conta a história de Jacob, um adolescente americano que, aparentemente, não sabe o que esperar de sua vida, mesmo já tendo tudo planejado por seus pais. Desde criança, sempre escutava seu avô- judeu refugiado na Escócia, durante a Segunda Guerra Mundial - contar histórias a respeito de crianças com habilidades bastante ~peculiares~ que teria conhecido quando era criança. Após uma acontecimento bastante impactante no início do livro, Jacob irá parar em uma ilha na Escócia e descobrirá até que ponto as histórias de seu avô eram apenas para entretê-lo. Fiz uma resenha em vídeo que vocês podem conferir aqui.


Leitura do mês, Carrie, a estranha é o primeiro livro do aclamado Stephen King e vai contar a história de uma adolescente que sofre bullying na escola por conta da maneira como foi criada. Sua mãe é uma religiosa muito fanática e condena tudo, sem exceções. Após uma situação bastante traumática depois da aula de educação física, Carrie decide que está na hora de fazer alguma coisa para mudar a situação. O livro, narrado de uma forma bastante criativa, vai apresentar também um baile e telecinese. Coloquei ele na lista porque, mesmo sendo do Stephen King, achei que vai mais para o paranormal do que para o terror. O que acham? Para entender melhor, assista a resenha dessa semana lá no canal :)

Além dos já mencionados, li também Drácula - clássico do terror -, mas como não gostei e pretendo ler novamente algum dia, vou deixar para falar sobre ele mais para a frente, ok? Além deste, recomendo também a leitura de O Morro dos Ventos Uivantes, de Emily Brontë, e Jane Eyre, de Charlotte Brontë, que não são livros de terror mas que com toda a certeza tem umas partes bem obscuras e sinistras, provavelmente por serem ambientados em casas antigas e decadentes.


Vou ficando por aqui! O que acharam das minhas recomendações? Já leram algum desses livros? Te deram calafrios? Quais livros vocês recomendam muito a leitura?

Me contem nos comentários!

Beijos e um feliz dia das bruxas para todos!

Michas



Imagens: 1, 2, , 3, 4, 5


14 Comentários

  1. BRO, eu também tinha medo das vozes que poderiam ou não sair da parede! Por causa disso, até hoje tenho problemas em ficar sozinha em casa. Sempre acho que alguma coisa vai sair dos canos e me atacar.
    Me-do.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu odeio andar pela casa à noite ou de madrugada, quando todo mundo já foi dormir. Sempre acho que serei vítima do basilisco. SEMPRE.

      Excluir
  2. Ei, Michelle!

    Dos livros que citou eu li Harry Potter e Marina. Marina é realmente assustador. Dá muito medo em algumas partes! E o engraçado é que ao mesmo tempo que ele é um livro que assusta ele é doce também, né? Quero ler vários livros que citou aqui no post: O Morro dos Ventos Uivantes, Jane Eyre e O Orfanato (...).

    O Oceano no Fim do Caminho não é um livro de terror, mas me deixou meio tensa em alguns momentos. A Úrsula, os pássaros vorazes... uhg! :X

    Beijos, boas leituras. :)
    — Amanda {Lendo & Comentando}

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amanda!

      Tudo bem?

      Pois é, concordo com você. Marina me deu calafrios enquanto lia, mas em outros momentos era tão doce que é quase impossível acreditar que estava lendo o mesmo livro. Harry Potter tem umas coisas meio sinistras, né?

      O Morro dos Ventos Uivantes é maravilhoso! Tem uma atmosfera meio gótica e sombria que eu adoro. E Jane Eyre me assustou em umas partes. Recomendo muito a leitura dos dois. Ah, e nem vou comentar sobre O Orfanafo da Srta Peregrine para crianças peculiares. Adorei o livro, a diagramação e as fotografias. :)

      Preciso ler novamente O Oceano no Fim do Caminho. A Úrsula é terrível. É má na essência, sabe? Simplesmente má.

      Beijos e boas leituras para você também :)

      Excluir
  3. Carrie, tanto o livro quanto o filme, são clássicos inesquecíveis (talvez no mau sentido, de dar pesadelos nas pessoas). E, meu Deus, a foto da menina do Orfanato da Srta. Peregrine me arrepiou!
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lê,

      Agora que li "Carrie", preciso assistir aos filmes. Fiquei bem curiosa para conferir a versão mais recente, com a Chloe Grace Moretz, que eu adoro :)

      As fotografias em O Orfanato da Srta Peregrine para crianças peculiares são perturbadoras. ahaha

      Beijos

      Excluir
  4. Oi Michas, gosto muito do seu blog! Não sei se você costuma responder tags/selos, mas como gosto muito indiquei o seu para um. Espero que responda :) Beijos http://irr4diando.blogspot.com.br/2013/11/selos-indicados-liebster-award-e.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Thaly

      Fico muito feliz por saber que você gosta do blog! Muito obrigada pelo carinho :)

      Eu respondo tags e selos por aqui sim, faz tempo que não o faço, mas fico feliz por ter me indicado! Já estou atrasada para responder, mas farei isso sim! Muito obrigada :)

      Beijos

      Excluir
  5. Ia morrer sem saber que Zafón seguia essa linha. Jurava que "Marina" era uma história de amor. Avalia o nível de deslocamento da pessoa haha

    Olha, não achei a sua lista muito assustadora não, mas deve ser porque você não tem experiência. Eu também não tenho porque sou cagona e passo longe dessas coisas, porém acredito que Terror, assim, com letra maiúscula, seja O Exorcista, por exemplo.

    Descobri seu canal há pouco e to adorando, então vim conhecer o blog (to adorando também rs).

    Beijo :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Natália,

      Seja bem-vinda ao blog! Fico feliz que esteja gostando deste espaço e do canal :)

      Os livros do Zafón tem uma coisa meio sombria/sinistra que não sei explicar. Mas adoro. E a forma como ele escreve é tão gostosa de ler...
      Ah, essa lista não é assustadora. Não li muitas coisas de terror, não sou de me assustar muito e até hoje nem sei porque não li livros no gênero. Acho que opto pelos filmes...Ainda não li O Exorcista, mas deve ser interessante. E assustador ahaha

      Beijos

      Excluir
  6. Oi, Mi!
    Estou para comentar seu vídeo de Carrie desde o dia da postagem, mas foi passando... E agora, com essa obrigação de vincular a conta do YT ao Google Plus, parei de comentar em vídeos.
    Enfim... adorei seu vídeo. Acho que muita gente conhece a história de Carrie sem se dar conta. Como eu comentei na época da resenha, a leitura foi uma ótima experiência para mim e eu revivi o filme todo, cena a cena. Estou louca para ver o remake!
    Quanto aos outros livros que você citou aqui, concordo plenamente com os do Zafón. É incrível como ele consegue criar uma atmosfera sombria, né? Esse do orfanato está na minha lista.
    beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, me surpreendi muito quando percebi que já conhecia a história de Carrie. Ainda assim, gostei da forma como a narrativa foi construída :) Agora preciso assistir aos filmes. O remake parece ter ficado muito bom, né?

      O Zafón escreve de um jeito muito gostoso de ler. E sempre me surpreendo com a capacidade de deixar as coisas sombrias sem serem necessariamente assustadoras (com algumas exceções, claro).

      Nem me fale dessa vinculação das contas do Youtube e do Google Plus. Detestei a ideia :/

      Ah, O orfanato da Srta. Peregrine para crianças peculiares foi uma das surpresas de 2013. Gostei da maneira como o Ranson Riggs fez uso de fotografias antigas para contar a história. Depois que tiver lido, conte o que achou, tá?

      Beijos

      Excluir
  7. Oi Michele,
    Nossa, todos os livros que lí do Zafon tem essa atmosfera meio sinistra, o que eu particularmente adoro, tenho todos os livros dele, mas ainda falta ler três. Marina é um livro muito bom. Acho que os livros do Neil Gaiman tem uma pegada parecida com os do Zafon, super recomendo pra quem gosta desse tipo de leitura.
    Tenho aqui na minha estante também O orfanato da Srta. Peregrini e estou louca pra ler.

    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Natalia, também adoro a atmosfera sinistra nos livros do Zafón! Marina me dava calafrios enquanto eu lia, ahahha! Comecei a ler Neil Gaiman esse ano e gostei bastante. Li livros bem diferentes dele (Lugar Nenhum e O Oceano no Fim do Caminho), mas gostei do estilo dele. Quero ler mais agora :)

      Adorei O Orfanato da Srta. Peregrine para crianças peculiares! Espero que você também goste! Depois me diga o que achou, tá?

      Beijos

      Excluir