O Sobrinho do Mago, de C.S. Lewis


Considerado o primeiro livro de As Crônicas de Nárnia, O Sobrinho do Mago foi a penúltima história escrita por C.S. Lewis, publicada em 1955. É neste livro que conhecemos a origem de Nárnia e entendemos como começaram as viagens de crianças do nosso mundo para lá. É nele também ficamos sabendo como surgiu o Guarda-Roupa. A história acontece durante o período da Inglaterra Vitoriana e traz Digory, um garotinho de 10 anos que vive com os tios, pois seu pai está ausente e sua mãe, muito doente.

O tio de Digory - tio André - é um cara meio estranho que se diz um feiticeiro e passa boa parte de seu tempo recluso em um quarto onde estuda magia. Sua grande obsessão é descobrir como ir para outros mundos além do nosso e descobrir o que há por lá e, mesmo tendo descoberto uma forma de fazê-lo, ainda não encontrou a coragem para testar consigo. Por isso, faz uso de animais...que nunca voltam para contar a história.


Digory tem uma amiga, a Polly, e em um belo dia de verão, enquanto brincavam, os dois foram parar no escritório do feiticeiro. Tio André, sempre muito ganancioso e sedento por poder, resolve seduzir e enganar as crianças, de modo que ambas vão parar em um outro mundo. A partir daí, muitas coisas vão acontecer e Digory e Polly vão presenciar o surgimento de Nárnia. Não vou contar como isso acontece, pois C.S. Lewis fez um belíssimo trabalho nessa parte e vocês precisam ler!

Como já imaginava, a narrativa em O Sobrinho do Mago é bastante tranquila e leve, já que estamos falando de um livro escrito para crianças. Porém, não foi um livro escrito apenas para crianças; um olho adulto vai enxergar coisas nas entrelinhas que um olho infantil não enxergará.

Apesar de não existir nada dizendo que é necessário ler O Sobrinho do Mago antes das demais histórias, eu recomendo que o livro seja lido, pelo menos, antes de A última batalha (1956), a história que finaliza as crônicas. Acredito que o C.S. Lewis deve ter tido um motivo para escrever O Sobrinho do Mago,que trás acontecimentos bem anteriores aos das demais histórias, antes do último livro.

De uma forma geral, gostei de O Sobrinho do Mago, pois funciona muito bem como uma introdução ao universo de Nárnia; porém, acredito que não será a minha história preferida. Ainda acho que vou morrer de amores por O Leão, a Feiticeira e o Guarda-Roupa. Aguardemos. De qualquer maneira, recomendo muito a leitura justamente pelo motivo que mencionei no início do parágrafo: funciona muito bem como uma apresentação à Nárnia.


Nenhum comentário