Publicado por Charlotte Brontë (na época, sob o pseudônimo de Currer Bell) em 1847, "Jane Eyre" é narrado em primeira pessoa pela personagem que dá título ao livro. Ao que tudo indica, após os acontecimentos narrados, a protagonista decidiu contar a sua história desde os tempos de infância. Ambientado na Inglaterra do século XIX, o livro tem início quando a pequena Jane, após perder os pais, se encontra sob os cuidados da Sra. Reed - esposa do tio de Jane que, antes de o marido morrer, jurou que cuidaria da menina como se fosse um de seus próprios filhos.

A Sra. Reed não deixou faltar nada à menina, porém, fica claro para o leitor que a mulher não gosta da criança, pois a trata sempre com crueldade e a julga como uma menina má. Os primos de Jane - John, Georgiana e Mary - não são muito diferentes; além de serem crianças insuportáveis e mimadas, sempre acham algum motivo para implicar com a menina, que, não importa o que aconteça, será sempre considerada a culpada por todas as brigas.Cansada de ter que lidar com Jane e sua natureza "selvagem", a Sra. Reed resolve mandá-la para um colégio interno, onde deverá aprender a se transformar em uma dama. 

O livro é dividido em três fases e, após contar como foram os seus primeiros anos no colégio interno, a narradora faz um salto de oito anos. Neste ponto, Jane já tem 18 anos e decide se tornar uma preceptora. É assim que ela vai parar em Thronfield Hill, uma mansão enorme e lar de Adele, sua aluna. A propriedade pertence ao Sr. Rochester (que toma conta de Adele, apesar de não ter relação nenhuma com a menina), um homem bastante sério, muito rico e bem relacionado que evita ficar em sua casa por muito tempo. Apesar de seu status e idade (algo entre 35 e 40 anos), Rochester é ainda um homem solteiro, o que leva a uma série de comentários da parte dos criados da casa.

Com o tempo, Jane começa a perceber que há algo de muito estranho acontecendo em Thornfield Hill. Uma das criadas lhe instiga a curiosidade, por se tratar de uma mulher misteriosa, que não socializa muito com os outros funcionários e passa a maior parte do tempo em uma área isolada da casa, onde ninguém sabe o que acontece.

***

"Jane Eyre" é um livro bem escrito e, por ser um clássico, acho que é sim uma leitura muito válida. Principalmente se você gosta de livros do período Vitoriano. É uma história que envolve romance, drama e até um pouco de mistério. Em alguns momentos, comecei a me perguntar se Charlotte Brontë havia adicionado alguns elementos sobrenaturais em sua história, o que acaba mostrando um pouco da influência da literatura gótica em seu trabalho.O livro também trata de alguns temas que não eram muito comentados na literatura da época, como a loucura e a bigamia.

Não é o meu clássico preferido, mas ainda assim, foi uma leitura envolvente. Descobri o final antes, mas acho que isso aconteceu porque há muita influência dos clássicos no filmes e livros que lemos hoje. Imagino que na época, o final deve ter sido bem chocante. Gostei bastante da personagem Jane Eyre, que é uma protagonista feminina forte, decidida e que já tinha ares de feminista. Acredito que ela deve ter influenciado a forma de pensar de muitas mulheres da época. O Sr. Rochester é um personagem interessante e misterioso, mas, sinceramente, não simpatizei com ele. A princípio, o achei meio possessivo e condenei muitas de suas ações. Precisarei fazer uma releitura para ter certeza se esta é a minha opinião final sobre ele.

 


8 Comentários

  1. Oi, td bom?

    Eu li Jane Eyre no ano passado (acho). Eu gostei bastante, principalmente do "toque sobrenatural" que vc mencionou. Foi uma surpresa e lembro de ter relido o trecho que foi citado. Achei bonita a maneira que a história se construiu.
    Também, esses tempos fiz um daqueles testes online sobre quem seria seu par literário perfeito, deu o Sr. Rochester haha

    Beijos
    http://arrastandoasalpargatas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rafa

      Tudo bem sim, e com você?

      O "toque sobrenatural" em Jane Eyre é muito bom, né? Me dava um medinho enquanto eu estava lendo, haha. Mas também serviu para me deixar bem curiosa sobre o que viria :) É um romance bem bonito! E a Jane é uma ótima protagonista :)

      Preciso fazer um desses testes para saber quem seria meu par literário perfeito hehe :)

      Beijos

      Excluir
  2. Ainda não li. Mas gostei da história da das irmãs e fiquei com muita vontade de ler.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Érika

      Leia sim! Jane Eyre é um belo romance! E a história das irmãs Brontë é muito triste! Dá para perceber isso pela forma como elas contam suas histórias. Outro que recomendo, se ainda não tiver lido, é O morro dos ventos uivantes, da Emily Brontë! Um dos meus livros preferidos da vida <3

      Excluir
  3. Jane Eyre é um dos livros que eu mais amo na vida. Eu adoro a personagem por ser uma mulher forte e decidida. Sou suspeita para falar das irmãs Brontë pois sou muito fã. E eu gosto do Rochester, mesmo ele sendo meio pirado hahahaha ele fazia umas perguntas muito estranhas para a Jane no começo.
    Beijos Michas :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um livro muito bonito mesmo! Ai, a história das irmãs Btontë é muito triste, né? Ainda não li nada da Anne, mas já estou curiosa! Assim que acabar meu Book Buying Ban vou ver se faço algo à respeito, ahaha!

      Nossa, o Rochester era muito estranho! Doidão mesmo. Fiquei com muita raiva dele ahahaha! Mas amo a Jane <3

      Beijos

      Excluir
  4. ando querendo ler esse tipo de romance, com essa pegada feminista, ultimamente. Primeiro porque algumas literaturas têm me levado ás outras. Tipo sou apaixonada pela séria Diário da Princesa da Mega Cabot, e lá ela faz referencias á Jane Eyre, é o livro que a Grandmére dá pra Mia, sobre como se deve tratar os homens. Já fiz um post sobre isso no blog.. Outra que tô querendo muito ler é Orgulho e Preconceito de Jane (Austen) - tantas Janes né? ha - enfim acho que é o tipo de leitura que faz com que a gente cresça muito, se identifique com aolguns personagens, e pra quem sonha em ser escritora, como eu sonho, serve bem como base pra construção de um personagem forte. É o que eu acho! espero (: beijo flor, vem visitar meu blog?!

    ResponderExcluir
  5. Oi, Yasmim
    Lembro das referências a Jane Eyre em O diário da princesa. A Mia escrevia nos lembretes que precisava ler, mas demorava um tempão para ler, não?

    O livro é ótimo, um clássico com elementos góticos e de mistério. E sim, tem um "quê" de feminismo também. Recomendo bastante a leitura. O mesmo para os livros da Jane Austen :)
    Orgulho e Preconceito é ótimo! Preciso reler :)


    Beijos

    ResponderExcluir