Leia Mulheres: apresentação e possíveis próximas leituras leituras


Ontem foi Dia Internacional da Mulher e animada com tudo o que a data representa e inspira, resolvi iniciar mais um projeto literário por aqui: o Leia Mulheres. O projeto, originalmente chamado Read Women 2014, é criação da escritora Joana Walsh que lançou a proposta de fazer de 2014 um ano para se pensar e discutir a questão de gênero na literatura, prestigiando o trabalho de escritoras e promovendo o equilíbrio e a diversidade neste sentido. Para saber mais sobre a hashtag #readwomen2014, clique aqui, e para conhecer o Leia Mulheres, clique aqui.


Quando soube desta proposta, 2014 já estava praticamente no fim e, por isso, resolvi que uma das minhas metas literárias para 2015 seria a de ler mais livros escritos por mulheres. Analisando as minhas leituras do ano passado, percebi que houve equilíbrio (50% de livros escritos por homens e 50% de livros escritos por mulheres), o que me deixou bastante contente. Porém, levando em consideração tudo o que já li na vida, sei que a balança pende mais para o lado dos homens.

Como quero que 2015 seja marcado pela diversidade nas minhas leituras – resolvi encarar o termo “diversidade” como algo bem amplo, que abrange desde o país de origem de um autor até um estilo diferente do qual eu estou acostumada a ler -, decidi prestar mais atenção no que escolho para ler, tendo consciência do tipo de literatura que mais consumo e buscando sempre expandir os meus horizontes. Sendo assim, claro que vou incluir a diversidade de gênero na brincadeira, certo?

A ideia de participar do Leia Mulheres surgiu após eu ler este post e assistir este vídeo – ambos da Juli, do Mundo de Morfeu. Me inspirei nela e decidi que tanto o projeto, quanto a ideia por trás dele, são algo que eu quero considerar ao longo da minha vida, então é algo sem prazo para terminar.

***

Por que acho importante que eu participe do projeto?

Como é de conhecimento geral, mulheres foram excluídas de diversos aspectos sociais e culturais ao longo dos séculos, e com a literatura, infelizmente, não foi diferente. Hoje é evidente que nós já conseguimos muitos dos nossos direitos (e ainda precisamos conquistar muitos mais), inclusive o de escrever e publicar livros, porém, infelizmente, a impressão geral é que a maioria das pessoas ainda encara a literatura feita por mulheres como algo inferior ou que deve ser analisado de uma forma diferente. Isso precisa mudar e acredito que para isso acontecer, o primeiro passo a ser dado é justamente o de buscar mais conteúdo literário produzido por mulheres. 

Para mim, o que existe é: livros que vão agradar e livros que não vão, e isso não tem absolutamente nada a ver com o gênero de quem os escreveu, mas sim com a subjetividade do leitor. Logo, não há lógica nessa exclusão da literatura feita por mulheres simplesmente por ter sido feita por mulheres. Assim, me impus à meta de ler mais obras escritas por autoras, porém, tendo como foco principal o equilíbrio. Então, é claro que vou continuar lendo livros escritos por homens, seria um absurdo se não o fizesse.

E as leituras, quais serão?

Para começar, não quero sair como uma louca comprando livros quando sei que tenho muita coisa me esperando na estante. Logo, vou dar prioridade ao que já tenho aqui em casa e, com o tempo, vou adquirindo novos títulos. Também considero fazer algumas releituras. Lista com alguns dos livros que já tenho aqui em casa:

- Obra completa da Agatha Christie (ainda não tenho todos os livros, mas a ideia ir adquirindo conforme for lendo)
- Americanah (Chimamanda Ngozi Adichie)
- A Canção de Tróia (Colleen McCullough)
- I Capture the Castle (Dodie Smith)
- O Pintassilgo (Donna Tart)
- Objetos cortantes (Gillian Flynn)
- O sol é para todos (Harper Lee)
- Obra completa da Jane Austen (ainda não tenho todos os livros, mas a ideia é ir adquirindo conforme for lendo; os próximos a serem lidos são Orgulho e Preconceito, Mansfield Park, Emma e Persuasão)
- O Torreão (Jennifer Egan)
- Não sou uma dessas (Lena Dunham)
- Mulherzinhas (Louisa May Alcott)
- As Meninas (Lygia Fagundes Telles)
- As Brumas de Avalon (Marion Zimmer Bradley)
- Lua de Larvas (Sally Gardner)
- A redoma de vidro (Sylvia Plath)
- Mrs. Dalloway (Virginia Woolf)
- Profissões para mulheres e outros artigos feministas (Virginia Woolf)

Farei as atualizações sobre o andamento do projeto - em texto e/ou em vídeo - sempre que achar necessário; o mesmo vale para textos/vídeos de impressões de leitura.

***

Por fim, quero estender o convite à todos os que gostaram da ideia ou estão buscando mais diversidade em suas leituras. Sintam-se à vontade para gravar vídeos e/ou escrever posts sobre os assuntos e não deixem de compartilhá-los comigo, ok?

Nenhum comentário