"O segredo do meu marido", da australiana Liane Moriarty, traz as histórias de três mulheres cujas vidas se entrelaçam por um segredo. Cecilia Fitzpatrick é o exemplo de mulher bem sucedida: tem um bom trabalho, é uma excelente mãe e esposa, além de uma participante ativa e bem vista na comunidade da qual faz parte. Porém, seu mundo desaba quando encontra uma carta de seu marido endereçada à ela e com os dizeres: "Para minha esposa, Cecilia Fitzpatrick. Para ser aberta apenas na ocasião da minha morte". A partir do momento em que toma conhecimento de tal carta, a curiosidade de Cecilia apenas cresce até culminar no instante em que decide por fim ao mistério e desvendar o mistério de John-Paul, seu marido.

Assim como Cecilia, Tess também assiste ao desabamento de seu mundo quando descobre que seu marido, Will, está apaixonado por sua prima Felicity. Tess e Felicity são praticamente irmãs, têm a mesma idade e suas mães são gêmeas; as duas cresceram juntas e se conhecem muito bem. Já na vida adulta, as duas e Will iniciaram um negócio que vem trazendo bons resultados. Tudo muda quando Tess, após descobrir a respeito do romance entre seu marido e sua prima, sai da cidade e vai passar alguns dias na casa de sua mãe, Lucy, levando consigo seu filho Liam. O garoto, por sua vez, é matriculado na mesma escola das três filhas de Cecilia Fitzpatrick. 

Por fim, a autora nos apresenta a Rachel, uma viúva que jamais foi capaz de superar a morte brutal e misteriosa de sua filha, Janie. A falta de respostas foi responsável pela morte de seu marido e pelo distanciamento de seu filho mais novo, Rob. O pouco de alegria e cor que há na vida de Rachel se deve pela presença de Jacob, seu netinho, que em breve se mudará para Nova Iorque, porque Lauren - mãe de Jacob - recebeu uma proposta de emprego imperdível. 

O conteúdo da carta de John-Paul não só revela o pior segredo que ele já teve, como também coloca em risco toda a vida que construiu ao lado de Cecilia. Da mesma forma, a repercussão do segredo poderá trazer grandes impactos para as vidas de Tess e Rachel. Com a consciência do segredo de seu marido, Cecilia Fitzpatrick começa a questionar até que ponto realmente conhece o homem com quem se casou e até que ponto conhece a si mesma.

***

Não vou mentir: quando li o título do livro, julguei que fosse uma história bem ~genérica~, do tipo que a mulher descobre algo sobre seu marido, os dois brigam, reviravoltas acontecem e no final todos vivem felizes para sempre. Mas, felizmente, me enganei! Liane Mortiarty construiu uma história bastante surpreendente, que vai além do que aparenta e apresenta personagens muitíssimo cativantes. O que, a princípio, me pareceu um chick-lit, se transformou aos poucos em um drama contemporâneo com pitadas de policial nos primeiros capítulos.

Logo no início, me surpreendi com a maneira escolhida pela autora para contar a história, construindo cada cena e cada diálogo de forma bastante envolvente, instigando o leitor a continuar a leitura. Os acontecimentos ocorrem durante a semana da páscoa, os capítulos são divididos entre as três protagonistas e narrados em terceira pessoa (eventualmente temos acesso aos pensamentos das três mulheres). Em intervalos entre os capítulos, o leitor tem acesso a trechos de notícias antigas ou flashbacks que se relacionam com as histórias do presente. E isso é incrível, porque a narrativa acaba por não ser linear, o que, a meu ver, só enriquece a experiência de leitura.

No que diz respeito à construção de personagens, afirmo que a autora foi muito feliz, pois são todos muito realistas e de fácil identificação; o leitor compreende as suas motivações, sente as suas dores e as suas alegrias. A única coisa que pode ser considerada uma ressalva por alguns é no que toca a questão do segredo de John-Paul. Antes de chegar ao momento da revelação, eu já desconfiava do que seria e acho que isso não aconteceu por eu ter o costume de ler livros policiais, mas sim por ter sido a intenção da autora. O que importa, na história, não é saber qual é o segredo, mas entender a repercussão que ele trará. Por isso digo: se você se interessou pela história porque acha que é algo mais na linha de romances-policiais, há uma grande chance de se decepcionar. Como afirmei acima, mesmo com pitadas de mistério no início, a história trata de um drama familiar.

Ao final da leitura, dois pensamentos ficaram: 1) o fato de que nunca conheceremos por completo a pessoa que escolhemos para passar o resto da vida ao nosso lado; 2) precisarei reler "O segredo do meu marido" daqui uns 10 anos, porque muita coisa do que é apresentado (casamento, filhos, etc. ) ainda não faz parte da minha experiência de vida. Com isso dito, fica aqui a minha recomendação de uma ótima leitura, envolvente do começo ao fim e que vai te fazer ficar pensando na vida por algum tempo.

***

A minha edição foi enviada pela Editora Instrínseca como uma cortesia aos novos parceiros; isso mesmo: agora o blog é parceiro da Instrínseca! Fiquei muito feliz com a novidade e espero que isso só ajude a manter o conteúdo do blog cada vez melhor. Junto com o exemplar de O segredo do meu marido, a editora enviou um kit uma ecobag, dois marcadores em formato de flor, um sabonete bem cheiroso e uma cartinha muito fofa:

Esqueci de fotografar a ecobag (#michasfail), mas para ver, clique aqui.


6 Comentários

  1. Oi Michas!
    Tudo bem?

    Sinto que não estou no momento para ler esse livro, apesar da sua resenha ser bastante convincente...
    Bom saber que o livro é mais do que aparenta... Não imaginava pelo título que seria um drama familiar. Mas enfim, vou esperar um tempinho, e quem sabe a vontade louca de lê-lo desperte?

    Beijos!
    http://dacarneiro.wordpress.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Dani

      Tudo bem sim e com você?

      O livro é bem diferente do que eu esperava e acho que o fato de ter me surpreendido foi um elemento positivo para a leitura. Não sabia o que esperar e por isso me envolvi muito pela história :) É uma leitura bem interessante e, de certa forma, tocante. Se você resolver ler, me conte o que achou :)

      Beijos

      Excluir
  2. Oi Michas.
    Fiquei feliz em saber que o blog é parceiro da Intrínseca. Parabéns!
    Quanto ao livro parece ser bem interessante, gosto de livros que surpreendem e pelo jeito esse se enquadra nessa categoria. Admito que não será uma leitura que farei em breve porque há outros livros que tenho mais vontade de ler. Mas, sem dúvida o livro já está na minha wishlist, principalmente depois de ler uma resenha tão boa dessas.
    Beijos
    All My Life in Books - Aguardo sua visita!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nathália

      Fiquei muito feliz com a novidade! Espero poder ler bons livros e vir contar o que achei :)

      O livro é bem interessante e surpreendente. A leitura prende muito a atenção. Gostei mesmo! Se você resolver ler, depois conte o que achou :)

      Beijos e obrigada pelo carinho :)

      Excluir
  3. Eu também adivinhei alguns fatos logo de cara, mas isso não me desmotivou, pelo contrário, fiquei com mais curiosidade para descobrir o impacto na vida das personagens. Concordo totalmente com você. Acho que era isso mesmo que a autora queria, não criar um mistério para envolver o leitor em uma investigação, mas criar uma história crível, que envolve o leitor não pela sua obscuridade, mas por não ser difícil de acreditar que o enredo poderia ser real.
    "2) precisarei reler O segredo do meu marido daqui uns 10 anos, porque muita coisa do que é apresentado (casamento, filhos, etc. ) ainda não faz parte da minha experiência de vida". Aqui você tocou no ponto chave dos meus sentimentos em relação ao livro. Apesar de ser casada, não saboreei plenamente a narrativa, por não ter a vivência que o livro exige. Daqui a mais algum tempo, com certeza aproveitarei mais. Gostei da resenha. Abração. Mariucha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mariucha, essa livro foi uma grata surpresa. Como eu não sabia o que esperar, não conseguia largar o livro, precisava saber o que estava na carta e depois como aquela descoberta iria impactar na vida dos personagens. Acho que o que mais contribuiu para a leitura fluir foi a narrativa; a autora escreveu de uma forma muito envolvente :)
      Gostei muito do livro, mas sei que não compreendi muita coisa por conta da minha falta de vivência. Pude só imaginar...

      Fico feliz que tenha gostado da resenha :)

      Abraço!

      Excluir