Resolvi começar um Book Buying Ban. Isso mesmo, eu, Michelle, vou me proibir de comprar livros por um determinado período. Quem já leu este meu post no Literature-se sabe do meu atual desespero ao perceber a quantidade de livros comprados recentemente e não lidos que há na minha estante. Como já havia dito, não acho que exista problema algum em gastar dinheiro com livros; o meu problema é a falta de controle e o fato de que minhas compras não estão num ritmo proporcional ao ritmo de leitura. No momento, estimo que devo ter quase 80 (talvez mais, talvez menos...tenho medo de contar novamente!) livros não lidos em minha estante. Alguns estão lá há um mês, outros há um ano, outros não me lembro desde quando.

Me inspirei neste vídeo da Catriona, do Little Book Owl, e no projeto de ficar um ano sem comprar livros da Pam e, com a ajuda do boy, decidimos que tá na hora de um book buying ban. E agora, neste post, venho explicar mais ou menos como vai funcionar.

Me conhecendo, meu namorado sabe que eu ODEIO metas e ODEIO fazer coisas por obrigação, então, ele acha justo que o ban não dure até o fim do ano, por isso, ficou definido que vai ser até agosto. Se até lá eu achar que preciso continuar, ok, aviso vocês. Ele também acha que eu deveria me permitir comprar pelo menos um livro por mês - se eu realmente quiser, se o livro foi "válido" e se ele ficar convencido de que eu preciso do livro -, mas eu, sinceramente, acho que deveria ficar sem comprar nada. Veremos.

Já que meu problema principal não é comprar livros todo mês, mas comprar muitos livros todo mês, acho que a sugestão dele pode ajudar a tornar o processo menos "doloroso", rs. O que eu pretendo fazer é só me permitir comprar um livro se o dito cujo estiver na minha wishlist há pelo menos um ano, ou se for parte de uma coleção/série. Ah, e não será cumulativo, então, se em um mês eu não comprar nada, no próximo continuo tendo direito a apenas um livro. Vou tentar ler pelo menos três ou quatro livros (livros na estante; ebook não conta e muito menos livros emprestados) por mês antes de me decidir se vou poder me dar um livro novo.

Sendo assim, como vou fazer para reduzir o número de livros não lidos na minha estante? Simples, lendo. Com o meu projeto pessoal de ler um clássico por mês, vou reduzir uma boa quantidade, já que a maior parte dos livros que tenho aqui são clássicos. Outra opção é continuar a pedir a ajuda de vocês para reduzir a fila de livros com as votações e, claro, The Book Jar. Fiz a minha há meses e só usei UMA VEZ, minha gente!

O importante é que não pareça algo forçado e que eu não me cobre demais, entendem? É importante que eu compreenda que tenho muitos livros bons aqui em casa e que eles precisam (e merecem!) ser lidos. Por isso, não vou me cobrar e vou encarar tudo de forma positiva. No fim, terei lido bastante e ficado - quem sabe?- mais inteligente, rs. Claro que pretendo escrever aqui no blog um pouquinho sobre esta experiência e, claro, trocar ideias com vocês. Então, se alguém já tiver feito um book buying ban ou conhecer algumas técnicas para evitar a ~tentação~ sinta-se livre para compartilhar nos comentários, ok?


Repito: 2014 está passando muito rápido! Só eu que estou achando isso? Bom, fevereiro não foi um mês muito brilhante para favoritos (na verdade achei que foi um mês bem bleh), mas tive contato com algumas coisas interessantes e que, de certa forma, merecem aparecer por aqui :) 

Livros:
Neste quesito, o último mês foi bem chato, já que uma das leituras foi bem enfadonha e duas ficaram para serem concluídas em março. 

Ainda assim, um livro conseguiu se salvar: "Paper Towns", do John Green. Vou ser sincera, não sou a maior fã de "A culpa é das estrelas", detestei o conto do autor em "Deixe a neve cair" e já estava começando a achar que "Quem é você, Alasca?" era uma exceção. Mas me enganei, e "Paper Towns" virou queridinho da vida e meu favorito do autor (até o momento).

Filmes:
Ao contrário do que aconteceu em janeiro, consegui assistir a três filmes em fevereiro. Todos indicados ao Oscar 2014. Apesar de ter adorado "O Lobo de Wall Street" e ter me divertido com "Trapaça", o favorito foi o adoravelmente fofo e lindo "Frozen", da Disney! Não adianta, animação com princesa já ganha o meu coração <3 E a trilha sonora é ótima também. 

Séries:
Consegui voltar a acompanhar algumas séries (mas já me atrasei novamente, claro) e em fevereiro duas delas foram as minhas queridinhas:

The Originals
Me julgue se quiser, mas eu adoro esse universo criado em The Vampire Diaries e expandido em The Originals. Apesar de ainda gostar muito da série-mãe, nos últimos meses Elena & Cia andaram me desanimando. Coisa que não aconteceu, de forma alguma, com a série de Klaus, Elijahlindo e Rebbekah.

Castle
A verdade é a seguinte: Castle é sempre legal. Mesmo quando tem uns núcleos de personagens chatinhos (Alexis e Pi, por exemplo), a série continua a surpreender e cativar. Essa temporada atual - não lembro o número, sorry - está excelente e eu estou louca para ver o grande dia da Beckett e do Castle. Além das investigações criminais, claro.

Música:
Mais uma vez, Of Monster and Men fez a trilha sonora do meu mês. Inclusive, até comprei o CD deles (sim, eu faço isso às vezes. Em fevereiro, aproveitei também para escutar o primeiro EP que a Nerina Pallot lançou este ano (ela está com um projeto bem legal de lançar um EP novo por mês) e amei demais. Vamos aos álbuns!
The Hold Tight (EP) | Nerina Pallot, Janeiro de 2014
Recomendo: "Hard Equation" e "The Hold Tight"
Frozen (trilha sonora) | 2013
Recomendo: "Let It Go" (versão do filme, cantada pela Idina Menzel) e "Do You Want to Build a Snowman?"
My Head Is An Animal | Of Monsters And Men, 2011
Recomendo: "Slow and Steady" e "Your Bones"
English Rain | Gabrielle Aplin, 2013
Recomendo: "Please Don't Say You Love Me" e "The Power of Love"

Algumas dessas músicas (e outras de outros artistas) vocês podem encontrar na mixtape de fevereiro que eu montei lá no 8tracks: