(Um post sobre crush)
Já comentei por aqui que tem dias que acordo besta e que gosto quando isso acontece, porque significa que estou feliz por motivos bobinhos, inofensivos e adoráveis. Gosto de aproveitar tais ocasiões para dar vazão especificamente ao meu lado fangirl e praticar algumas creicices sem arrependimentos. Assim, conversando com as amigas de cilada (❤Sharon, Manu, Tati e Mia❤), resolvemos que uma de nossas postagens coletivas seria dedicada aos nossos amores platônicos, os crushes. E como boas fangirls que somos, optamos por deixar tudo ainda mais creiço e criamos categorias para facilitar (ou não) a brincadeira. Portanto, sem mais delongas:

Senhoras e senhores, se preparem! Eis a minha singela, porém sempre fabulosa, lista de crushes! Lembrem-se: feelings are the only facts and I regret nothing. #YOLO 


Crush literária
Aragorn, filho de Arathorn, também conhecido como Passolargo ou Herdeiro de Isildur ou Elessar ou mais um milhão de nomes dependendo de qual região da Terra-Média estamos falando. Não sei dizer exatamente o que me atrai em Aragorn, mas acho que há algo de muito ~sedutor~ em sua aparência ~rústica~. Além disso, ele tem um bom coração, gosta de fazer o bem e morreria por isso. Ah, e por acreditar que estava fazendo o melhor para todos, renunciou ao trono que era seu por direito, só para depois voltar atrás porque percebeu que estava errado. Aragorn não tem medo de mudar de ideia e rever antigas concepções. Infelizmente, nada nunca rolou entre nós, pois ele já havia prometido seu coração à uma certa elfa filha de rockstar.


Crush cinematográfica
Luke Skywalker, porque eu sou justamente o tipo de pessoa que escolhe se apaixonar pelo herói que não pode se envolver romanticamente com ninguém por motivos de votos Jedi. E talvez seja justamente isso que torne Luke tão atraente. Vejam bem, ele passou toda a sua vida pensando que havia sido deixado de lado no fim da galáxia, só para descobrir que era o último Jedi existente (são questões). Aí, ele vira o herói, salva todo mundo (são questões), traz seu pai de volta para o Lado da Luz, vira o Mestre Jedi mais poderoso de todos os tempos (são questões) e fica...sozinho. Tipo, literalmente. A cena final de O Despertar da Força é 1) emocionante e 2) de partir o coração, porque ele TÁ SOZINHO NO MEIO DE UMAS ROCHAS CONTEMPLANDO O MAR E SENTINDO TODA A DOR DO MUNDO PORQUE A FORÇA É FORTE NA FAMÍLIA DELE. Não aguento tamanha injustiça e só sinto vontade de abraçar o Luke (jovem, claro) e dizer que vai ficar tudo bem, que podemos nos casar em segredo e garantir que não teremos um fim trágico como o dos pais dele.


Crush da vida escolar
Como sabemos, nem todo relacionamento de colégio dura até a vida adulta, mas alguns duram e Nathan Scott está aqui para provar. Nathan chegou causando a pior das impressões com aquela pose de machão, garoto popular e capitão do time de basquete. Contudo, aos poucos foi se revelando um ser humano muito sensível e incrível e, nossa, que homem. E o que mais me fascina é que ele fez tudo isso antes de se tornar adulto. Não vou mentir: não sou a maior fã da ~segunda fase~ de One Tree Hill, mas se tem algo que fez tudo ali valer a pena é a chance de ver Nathan Scott adulto e pai de família. Não sei lidar com ele segurando um bebê e não pensaria duas vezes antes de dizer sim quando ele me pedisse em casamento.


Crush musical
Primeiramente, digo que músicos são o meu fraco. Agora, músicos que parecem perdidos, com voz meio rouca e com gloriosos cabelos longos me deixam realmente perturbada porque eu não consigo lidar. Assim, quando James Bay aconteceu em minha vida, trazendo calmaria para este caótico 2016, não demorou até que eu começasse a suspirar e sorrir de forma meio besta toda vez que escuto a sua voz. O moço canta sobre ansiar por algo que possa sentir, sobre as borboletas (no estômago?) que roubam o seu sono, adora fazer metáforas com o sol e falar sobre seu coração partido. Meu Deus, como não gamar em James Bay?


Crush celebridade
Jared Padalecki, a única celebrity crush possível em 2016. Sinceramente, não me lembro de acompanhar nenhuma pessoa famosa apenas por sua fama; assim, todos os famosos que stalkeio chegaram até mim por conta de seus trabalhos. No caso do Jared, também por causa de suas ~causas~. Mais conhecido por caçar monstros com seu irmão (ou por dividir opiniões de fãs de Gilmore Girls), Jared também é um cara super determinado a ajudar aqueles que, como ele, lutam contra a depressão. Assim, ele criou a campanha Always Keep Fighting com o intuito de chamar atenção para o assunto e também para conscientizar as pessoas. Acho lindo e confesso que, assistindo aos painéis de Supernatural em convenções, não aguento ao ver alguns fãs o agradecendo e dizendo como a campanha foi importante para eles, e aí, todo mundo se abraça e se encoraja e eu sempre choro. Além disso, ele é muito simpático, está sempre interagindo com os fãs, é um cara super ligado à família, tem dois (quase três) filhos lindos e uma esposa linda também. Ah, e ele é lindo demais, socorro. 

Girl Crush
Três fotos pois impossível escolher só uma

Jenna Coleman, porque, de acordo com a Sharon, uma girl crush é uma moça com quem você se relacionaria ou que faria você questionar a sua sexualidade ou que você gostaria de ter como amiga. E, na real, Jenna Coleman é uma realidade para mim em todos esses critérios e vou além: eu gostaria de ser a Jenna Coleman. Essa mulher é adorável, linda, excelente atriz, inspiradora, namora o Richard Madden, se veste bem, é rainha e, por fim, é a garota impossível. Não há nada para não amar em Jenna Coleman, minha adorável girl crush.


Crush morta (que nome!)

Alerta de spoiler do especial de natal de Downton Abbey de 2012. Se não quiser saber, pule para a próxima crush.
.
.
.
.
.
.
Sem sombra de dúvidas, Matthew Crawley. Ao contrário de quase todo mundo naquela família, Matthew não nasceu em um lar abastado, de forma que precisou batalhar na vida até o momento em que se descobriu herdeiro. Gosto de como ele tenta, aos poucos, entender o seu novo estilo de vida e, ao mesmo tempo, o questiona. Gosto de como ele se mantem fiel ao seu noivado, mesmo quando está apaixonado por outra mulher, porque essa é a coisa certa a se fazer pela família. Gosto de sua sensibilidade ao tratar Lady Edith com um carinho que muitas vezes nem a própria família da moça demonstra. Gosto de como ele não parece fazer distinção entre aristocracia e criadagem, tratando a todos da mesma maneira. Ama Lady Mary por quem ela é e aceita o fato de que ela jamais será submissa à ele (coisa muito à frente do tempo em que a série é retratada), e faz o pedido de casamento mais lindo do mundo na noite de Natal e debaixo da neve. Matthew é um bom moço e não  merecia ser uma crush morta.


Crush intelectual
Aquela crush com quem gostaria de conversar por muitas horas, pois a acho fascinante, mas não sinto a menor vontade de dar uns beijos. Não poderia ser outra que não David Gilmour, hoje um adorável senhor de 70 anos. Em minha defesa, David foi um jovem extremamente adaptável ao meu tipo, pois músico bonito e cabeludo. Como sabemos, o Pink Floyd é a banda da minha vida e muito disso se deve à participação de David Gilmour com seus solos de guitarra inexplicavelmente feitos para serem sentidos. Assim, minha crush intelectual e eu nem sequer conversaríamos pois eu me contentaria em ficar sentada ao seu lado, sem emitir som algum, enquanto ele tocaria guitarra por horas. Tenho certeza que muito seria dito entre nós, pois David é a minha alma-gêmea.

Crush estranha
Matt Smith, porque 'cês já olharam bem para ele? Não é como se ele fizesse o tipo galã, mas, nossa, que homem bonito. Não, pera, nem é bonito. Mas é sim. É aquela crush que mexe com você, que faz seu coração bater mais forte, mas que quando você comenta, ninguém entende. Nem você entende, porque é estranha. Como pessoa - pelo menos de acordo com o que vemos na mídia -, Matt Smith é um cara simpático, gente boa, que é amado por crianças, espontâneo e, de forma geral, super ~good vibes~. Além disso, ele teve a honra de ser o Doutor e isso não é pra qualquer um.


Crush sobrenatural
Chegamos ao ponto em que esse post descarrilhado desanda de vez porque eu descobri que Castiel é uma crush real oficial em minha vida. Entre as muitas coisas trazidas pelo revival de Supernatural em meu 2016 está o fato de que, aparentemente, agora eu tenho quedinhas inexplicáveis por seres celestiais. Não é que Cass não seja um personagem querido, do tipo que a gente ama e quer ver feliz, mas, sabe, ELE É UM ANJO. Ele não demonstra sentimentos - na real, não acho que ele seja capaz de sentir -, ele não demonstra nada que possa ser remotamente humano e, mesmo que tenha passado bastante tempo entre nós, convenhamos, ele não tá adaptado. Por mais que ultimamente ele tenha se mostrado mais ~ingênuo~, todos nós sabemos que ele é bem ameaçador quando quer/precisa ser. Ele é esquisito e não tem nenhuma aptidão social. Ele usa sempre a mesma roupa e, diga-se de passagem, isso não é legal. Aquele trench coat não é sexy. Eu não me entendo, eu não faço sentido. Deve ser apenas uma fase. Só podem ser os olhos azuis. 'Cês já viram como os olhos dele são azuis?

Crush problematic fave
Oh, well...Heathcliff. Faz um tempão desde que li O morro dos ventos uivantes, mas me lembro que Heathcliff está longe de ser esse ~cavalheiro romântico~ que dizem por aí. Ele pode até ter um passado complicado e ter vivido alguns traumas, mas isso não muda o fato de que estamos falando de um sujeito muito genioso, extremamente doentio, abusivo e, na real, completamente louco. Há quem diga que suas ações são movidas pelo amor e, sinceramente, não discordo, mas acho que são ainda mais movidas pela vingança. E, talvez, por um misto de raiva, revolta e mágoa. Sejam os motivos quais forem, eis um fato incontestável: Heathcliff foi rejeitado e, por isso, sofre. E sofre muito. Me julguem, me chamem de louca, mas acho que existe algo de muito bonito (e trágico) na história dele e nessa noção de se perder completamente por conta de um amor que foi impedido. Heathcliff é muito complexo e por isso, o considero meu personagem literário preferido. É possível que seja este o motivo para tê-lo citado aqui.


Crush menção honrosa
Harry Styles. Porque sim. #feelingsaretheonlyfacts



4 Comentários

  1. Se eu tivesse que escolher algum desses como meu crush seria, sem sombra de dúvidas,Jared Padalecki. Amo desde Gilmore Girls. E olha q nem sabia dessa campanha contra a depressão dele...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha, acho que preciso concordar. Adoro todos esses crush da minha lista, mas o Jared é maravilhoso, haha.
      Acho muito bonita a relação dele com os fãs e como ele usa a imagem dele e as experiências que teve na campanha contra depressão.

      Excluir
  2. AMO NATHAN SCOTT E VOU PROTEGÊ-LO. Acho que One Tree Hill foi a série teen mais emo da história, lembro que chorava horrores quando assistia. Tem um ep (acho que da primeira temporada) que tá todo mundo bem e feliz voltando de uma festinha quando a Hayley é atropelada (detalhe: grávida), o pai do Nathan é preso e o Lucas sofre um ataque cardíaco e tudo isso acontece em, tipo, menos de 5 minutos. Que série insana.
    Sempre gostei dele porque sempre fui chegada no bad boy popular, shame on me.
    Descobri o James Bay esse ano, meu Deus, que homem. Tenho uma certa inveja do cabelo dele? Tenho, mas isso é um detalhe. Minha música preferida dele é hold back the river.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Natália
      O Nathan é apaixonante mesmo, né? Ele era péssimo na primeira temporada, mas melhora muito e virou meu personagem preferido.
      One Tree Hill era uma sofrência sem fim. Sempre chorava assistindo. Esse episódio que você comentou, se não me engano, é na terceira temporada. Chega a ser absurda a quantidade de desgraça que acontece em poucos minutos, haha. E a série manteve essa linha até o final.
      Me abraça porque eu também morro de inveja dos cabelos do James Bay! E, sim, QUE HOMEM.
      Hold Back The River é amor demais <3 Não é a minha preferida, mas tá no meu top 5 :D

      Excluir