(Ou: O maior meme de fim de ano)

Vou ser breve na introdução, pois o post é gigantesco. Hoje é o último dia deste fatídico ano de 2016 e entre os nossos planos de cilada conjunta, Manu, Sharon, Mia, Tati e eu decidimos que iríamos responder um meme de retrospectiva que foi sugerido lá no grupo Se organizar, todo mundo bloga. São infinitas perguntas que nos instigam a refletir sobre o ano que passou, recordando momentos, sentimentos e material para fangirlização. Exatamente o tipo de coisa que é a nossa cara e que, por isso, a gente adora. Shall we begin?

1. Onde você estava quando 2016 começou?
Estava em uma cidade litorânea do estado de São Paulo - cujo nome não revelarei pois Internet, né? - para a qual vou desde antes de nascer (é sério, tem fotos de mamãe grávida nas praias de lá) e que me faz muito, muito, muito bem.
2. O que você fez em 2016 que você nunca tinha feito antes?
Pela primeira vez percebi de verdade que não, eu não sou um floquinho de neve especial e que, assim como quase todo mundo que eu conheço da minha idade, também tô lidando com crises. No âmbito familiar, comecei a me impor mais no sentido de começar a colocar para fora coisas que vinha carregando há anos dentro de mim e que eu não fazia ideia de que estavam me consumindo. Também, pela primeira vez, comecei a enxergar meus pais menos como meus pais e mais como pessoas complexas e que, assim como eu, só estão tentando sobreviver em meio ao caos. Pela primeira vez também, entrei sozinha em um táxi dirigido por um homem à noite. Pode parecer besta, mas é preciso ter muita coragem para fazer isso. Agora, pelo lado mais ~rocambolesco~ da vida, acho que escutar e gostar muitíssimo de músicas do Justin Bieber é uma ótima resposta para a pergunta.

3. Você manteve suas resoluções de fim de ano e fará novas para 2017?
No final de 2015 eu tinha apenas uma resolução de fim de ano: get my shit together. Sinceramente, não tô 100% e a vida não tá maravilhosa, mas só de ter me lembrado de quem eu sou e de ter conseguido encontrar o meu equilíbrio para organizar meus pensamentos, já me considero uma vitoriosa. 2016 foi um ano difícil para todos nós e ter sobrevivido, ainda que com algumas crises, tem o seu valor. Para 2017, além das metas literárias, minha resolução é: keep up the good work. Sobreviver, meus caros, é a meta. Qualquer coisa além disso será considerada lucro.

4. Você foi a algum show em 2016?
Não. O que achei bem curioso, considerando que 2016 foi um ano bastante musical por aqui. Admito que fiquei bem desligada da agenda de shows e rola sim um arrependimento por não ter ido ao show do Guns. Mas tudo bem, vida que segue, tem outros troféu. (Mentira, nem tem,  pois GUN 'N' ROSES PORRA).

5. Você procurará um novo emprego em 2017?
Olha, o que posso dizer é que o ~aspecto profissional~ da minha vida será o meu maior foco em 2017. Não sei muito bem o que isso quer dizer, mas é isso aí.

6. Você bebeu muito em 2016?
Não mais do que o socialmente aceitável. Não perdi a linha, não paguei mico, não mandei mensagens que poderiam me condenar e, principalmente, não mandei nudes (risos). Logo, acho que não bebi muito.

7. Você viajou nas férias? Para onde?
Todas as minhas viagens de 2016 - que não foram muitas - foram para a mesma cidade litorânea do estado de São Paulo cujo nome não revelarei.

8. Qual foi sua maior conquista em 2016?
'Cês perceberam que estar viva e com saúde foi um grande feito, né? Ok. Além disso, acho que retomar o controle sobre mim e me lembrar de quem eu sou foi a minha maior conquista em 2016.

9. Se você pudesse voltar no tempo, para qualquer momento de 2016, e mudar alguma coisa, o que seria? 
Say whaaaat?

Voltaria para o dia 28 de fevereiro e impediria a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas  de laurear Leonardo DiCaprio com o Oscar de Melhor Ator, pois este acontecimento, claramente, é o responsável pelo trem descarrilhado no qual se transformou o ano de 2016.

10. Você ficou doente ou ferido?
aNsIeDaDe.



***

11. Qual foi a melhor coisa que você comprou? 
Headphone, pois cansei de ser a rainha dos fones quebrados, e aquecedor, pois, como sabemos, o inverno chegou em 2016. Ah, comprei umas canetas de ponta fina da Faber-Castell que achei ótimas para escrever no journal. E, claro, minha jaquetinha jeans, pois precisava e queria pra ontem.

12. Quais são as pessoas cujo comportamento mereceu aplausos?
Sinceramente, nesse mundo tenebroso e cheio de intolerância, acho que qualquer pessoa que encontrou forças para ter coragem e ser gentil merece aplausos. Por favor, sejam sempre gentis. ❤

13. E quais são as pessoas cujo comportamento você reprovou?
Todos aqueles que destilaram ódio pela internet. Por favor, não sejam esse tipo de pessoa. #paz

14. Onde você investiu a maior parte do seu dinheiro?
Como sempre, em livros. Mas também gastei com DVDs, coisa que deixou de ser comum por aqui há alguns anos. Comprei roupas também, mas não tanto quanto deveria - preciso de roupas, sério. Curiosamente, comprei CDs - cópias físicas!!!! - em 2016. Poucos, mas ainda assim, CDs!!!!

15. O que te deixou muito, muito, muito feliz? 
O bloguinho. ❤ Ter conseguido fazer o BEDA e (mais ou menos) o Blogmas, que foram experiências muito positivas para mim e que me ajudaram muito a lidar com a avalanche que foi 2016. Além disso, foi por causa do bloguinho que conheci algumas das meninas mais legais desta internet, pessoas que quero muito poder conhecer melhor durante 2017, pois sinto que já fazem parte da minha vida.❤

16. Qual música sempre vai te lembrar de 2016?
Difícil responder, pois vivi pelo Spotify, de forma que o ano foi bem musical por aqui. Mas, acho que de tudo que escutei, o Chaos and the Calm, do James Bay, será o álbum que, no futuro, sempre me fará lembrar dos sentimentos e das sensações de 2016. Das faixas, as mais marcantes são Craving e Need The Sun To Break. Também tem Out Of The Woods, da Taylor Swift, pessoinha que demorou muito para acontecer por aqui; mas quando aconteceu, foi mágico e eu vi faíscas voarem. E aí, eu tive uma fase em que só escutei uns rockão, dos quais se destacam Piece of Mind, do Boston; Simple Man, tanto a versão original do Lynyrd Skynyrd, quanto o cover feito pelo Jensen Ackles; a versão do Jimi Hendrix de All Along The Watchtower; Laugh, I Nearly Died e Gimme Shelter, dos Rolling Stones; Refugee, do Tom Petty; Landslide, Crystal, Go Your Own Way e Big Love, do Fleetwood Mac. Tem também My Kind e Night Like This, da Hilary Duff. E, claro, várias do One Direction. ❤

17. Comparando este momento com o que você viveu exatamente um ano atrás, você está mais feliz ou mais triste?
Mais feliz, com certeza. 2016 foi um ano difícil para todos nós, mas não se compara a 2015 no âmbito pessoal, que foi horrível.

18. O que você queria ter feito mais? 
Gostaria de ter sido um pouco mais disciplinada no sentido de desenvolver rotina noturna, pois sinto que a ausência disso tem relação com a minha eterna luta contra a insônia. Também gostaria de ter lido mais e de ter ido mais ao cinema. Ah, e, com certeza, gostaria de ter praticado mais exercícios físicos.

19. O que você gostaria de ter feito menos? 
Queria ter passado menos tempo conectada, pois percebi que isso drena as minhas energias e em dias de bad, me faz um mal tremendo. Também gostaria de ter bebido menos café.

20. Como você passou seu Natal?
Foi um pouco estranho, pois estava longe de mamãe e papai, mas não foi ruim. Como meus pais viajaram, fui para a casa da minha tia, onde passei a folia com meus primos, meus tios e minha avó. Infelizmente, não pude ver meu amicão, que ficou na casa de vovó. 💔 Terminei a noite dormindo enquanto assistia O Império Contra-Ataca.

***

21. Quem foi a pessoa de quem você mais sentiu falta este ano?
Sem sombra de dúvidas, o ser que mais me fez falta foi Scooby, meu adorável amicão. Em um ano em que abracei minha natureza introspectiva e evitei bastante o convívio social, não foram poucos os momentos de bad em que só queria a companhia do meu cãozinho genioso que nunca me negou carinho - ainda que de modo pouco jeitoso.

22. Você se apaixonou em 2016? 
O Harry Styles conta? Porque me apaixonei.
❤Baby, you light up my world like nobody else ❤

23. Qual foi a maior mudança para você em 2016?
As principais mudanças que ocorreram por aqui foram internas e acho que a mais marcante foi que eu finalmente aceitei que sou desajustada e que não tem absolutamente nada de errado nisso. A vida é curta demais para ficar tentando se encaixar em padrões impostos e que na maioria dos casos não tem muito a ver com a gente. Sim, é complicado ser desajustado em uma sociedade que valoriza padrões, mas não é impossível e uma vez que a gente compreende isso, começamos a contemplar um oceano de possibilidades.

24. Quais foram os seus programas de TV favoritos?
Foi um ano bastante positivo neste departamento e, por isso, fica difícil de escolher. Mas vou citar três: Stranger Things, que foi uma grata surpresa; Full House/Fuller House, que aqueceram muito meu coração; e, claro, Supernatural, que SEMPRE volta para a minha vida quando mais preciso e me ajuda a seguir vivendo. Sam e Dean, eu amo vocês. ❤
❤ 

25. Você odeia alguém agora que você não odiava há um ano?
Olha, acho que ódio é um sentimento muito ruim e, por isso, não gosto de cultivá-lo. Então, não.

26. Qual foi o melhor livro que você leu?
Não consigo me decidir entre Em algum lugar nas estrelas e Confissões do crematório. Talvez, Star Wars: Herdeiro do Jedi. São questões.

27. Qual foi a melhor descoberta musical? 
SENHOR, QUE PERGUNTA DIFÍCIL. Mas, vou poupá-los de uma resposta enorme - até porque vai rolar retrospectiva musical 2016 - e direi que foi BØRNS. Achei tão ~good vibes~ que só sei sorrir quando escuto e já decidi que o Dopamine será o álbum do meu verão.

28. O que você queria e conseguiu?
Olha, na virada para 2016 eu só queria que o ano fosse gentil e me trouxesse #paz. Como ficou claro para todos nós, a parte da gentileza não rolou, mas pelo menos tive #paz. (Ainda que com aNsIeDaDe). Ah, também queria muito um Chuck Taylor All Star Lux branco e ganhei de presente de Natal e amei. Me sinto linda-alta-poderosa-e-descolada quando uso. Recomendo.

29. O que você queria e não conseguiu?
Lembrei que no fim de 2015 pedi para as minhas amigas me darem o Jon Snow e, infelizmente, ainda não ganhei. 💔Também queria muito ter conseguido ler vários calhamaços que tenho na minha estante, mas a aNsIeDaDe não ajudou e preferi não forçar. E realmente gostaria de ter praticado exercícios físicos. Ah, e de ter mergulhado no mar mais vezes. E te ter apertado meu amicão mais vezes também. Eu amo tanto meu amicão. ❤

30. Qual foi o seu filme favorito em 2016?
Complicado responder, porque 2016, definitivamente, não foi um ano de filmes por aqui. Pensando nos lançamentos, acho que foi Capitão América: Guerra Civil. Agora, falando de Netflix, Popcorn Time e torrents da vida, acho que Cinderella e Sociedade dos poetas mortos me tocaram muito e, por isso, moram no meu coração. Fato não tão curioso: no início de 2016 decidi, depois de quase dez anos, assistir novamente o terceiro filme de Piratas do Caribe, que tinha detestado quando vi no cinema. Acontece que depois do rewatch,  mudei de opinião e agora ADORO o filme e quero ver um milhão de vezes.

***

31. O que você fez no seu aniversário (e quantos anos você tem)?
A 26ª temporada da minha vida estreou em uma sexta-feira, que foi contemplada com uma comemoração em casa mesmo, só com meus pais, minha irmã e meu cunhado. No sábado, saí com minhas amigas Lele e Bia para comer Pizza Hut, pois sou grande entusiasta desta iguaria, e pude realizar o meu grande sonho de ser coroada Princesa-Sereia-Jedi-Stormtrooper-Khaleese-Pirata. ❤

32. Que coisa teria tornado seu ano imensuravelmente melhor?
Sem sombra de dúvidas, uma temporada de Doctor Who e um álbum novo da menina Taylor Swift. E seria ótimo se tantas pessoas ilustres e anônimas não tivessem nos deixado, se a situação política da nossa pátria-amada-idolatrada-salve-salve não tivesse sido caótica, se não precisássemos lidar com a Crise™, se o machismo fosse aniquilado, se millennials conseguissem ser o que acharam que seriam quando crianças, se a intolerância de qualquer tipo deixasse de existir....são tantas coisas que poderiam ter deixado 2016 melhor, né? A inexistência do hiatus do One Direction com certeza seria uma delas.

33. Como você descreveria seu conceito pessoal de moda e estilo em 2016?
Algo entre gótica suave e Clara-Oswald-meets-Josephine-Potter kinda style...I think?

34. O que manteve sua sanidade? 
As coisas boas e simples da vida, como beber uma xícara de café quente, comendo cookies/bolo/brownie enquanto lia newsletters e blogs das migas. Conversar com meu pai. Abraçar minha mãe. Problematizar coisas com minha irmã. As maratonas de Irmãos à Obra do Discovery Home & Health. Carpool Karaoke com James Corden, mas também as edições especiais comigo e minhas amigas Lele e Bia. O gloriosos cachinhos do Harry Styles. O sorriso do Harry Styles. A voz do Harry Styles. One Direction de forma geral. O revival de Supernatural na minha vida. A "descoberta" da Taylor Swift. A sabedoria de Amanda Palmer. As palavras de Anna Vitória Rocha. As conversas com Sharon, Manu, Mia e Tati (as melhores amigas de cilada ❤). Escutar a ~voz~ do meu amicão. Os bate-papos proporcionados pela newslettinha. A esperança de que o sol voltaria a nos agraciar com seu calor, mesmo na ausência da primavera. O Rock 'N' Roll. O Fleetwood Mac. As mentirosinhas de Pretty Little Liars. Os solos de guitarra do David Gilmour. Escrever no bloguinho e no journal. Conversar com minhas amigas Tary, Amandinha e Mell. O Twitter. Os crush fictícios. A 6ª temporada de Game of Thrones. E, por fim, a consciência de que ano que vem tem Star Wars - Episódio VIII.

35. Qual celebridade/figura pública que mais te fascinou? 
Em termos de fascinação, com certeza, foi a Taylor Swift. Ela é maravilhosa e realmente fascinante. Mas indo mais para o lado da inspiração, acho que seria o Jared Padalecki. Acho linda a relação dele com seus fãs e, principalmente, a forma como ele usa sua experiência pessoal com a depressão para conscientizar mais pessoas e incentivar aqueles que lidam com a mesma situação. Além disso, ele é um ótimo ator, tem um belo sorriso, tem uma família linda e parece ser uma pessoa genuinamente legal. Do tipo que só faz e deseja o bem, sem esperar nada em troca. Meio nas vibes Winchester mesmo.

***

36. Escolha o trecho de uma canção que melhor resume seu ano de 2016.
We're all bored, we're all so tired of everything
We wait for trains that just arent coming
(Taylor Swift, New Romantics)
Where do I go? What do I need? Is it ecstasy or is it fear?
Am I on my own? Am I even close?
'Cause I'm craving, still, craving something I can feel

(James Bay, Craving)
I used to recognize myself
It's funny how reflections change

(James Bay, Let It Go)

***

37. Do que você sente falta? 
Às vezes, sinto falta de quem eu era aos 18 anos. Vejam bem, eu gosto muito da pessoa que sou hoje e de quem estou me tornando, só que tenho a impressão de que quando a gente vai ficando mais velha, também ficamos meio temerosas, cautelosas e com medo de arriscar ou de falar o que pensamos sem pensar muito nas consequências. É claro que calma e reflexão são importantíssimas na hora de tomar uma decisão ou de dizer coisas, mas às vezes sinto que esse pensar demais me atrapalha, me freia. Quando eu tinha 18 anos, era meio rebelde-sem-causa, agia de forma bastante impulsiva, vivia como se não houvesse amanhã, sabem? Sinto um pouco de falta disso. Também passei o ano de 2016 inteirinho sentindo falta do Ed Sheeran - felizmente, ao que tudo indica, tem coisa nova vindo por aí em 2017.

38. Quem foi a melhor pessoa que você conheceu em 2016? 
Com certeza, as mulheres incríveis que surgiram em minha vida por conta da internet, do BEDA e das newslettinhas. Sinto que fico me repetindo o tempo todo, mas não tem como: Sharon, Mia, Manu e Tati, adorei conhecer vocês❤. Também adorei conhecer e interagir virtualmente com a Jeniffer e a Thaís. Lá na Bienal interagi um pouquinho pessoalmente com a Hadassah Sorvillo e adorei poder conhecê-la melhor pelas internets. Falando de pessoas que escrevem livros, gostei muito da Amanda Palmer e da Caitlin Doughty. Agora, no âmbito das celebs, não pode ser outra pessoa que não o menino-homem Harry Edward Styles. QUE HOMEM, gente.

39. Conte uma lição de vida importante que você aprendeu em 2016. 
2016 foi um ano de bastante autoconhecimento por aqui, então foram algumas as lições aprendidas (risos). Aprendi que se mostrar vulnerável é, na verdade, um sinônimo de força. Compreendi ainda mais o quanto é importante para mim manter amizades com mulheres. Me libertei e aceitei para sempre que os sentimentos são os únicos fatos. Descobri que minha mãe me enganou a vida toda e, por isso, tive uma ~crise de identidade~ quando soube que meu ascendente é em Aquário. É sempre - sempre! - melhor praticar a gentileza e a empatia. Tá tudo bem ser uma pessoa introspectiva e que se sente bem com a própria companhia. E, por fim, não há absolutamente nada de errado em pedir ajuda; faz bem e todos deveríamos ter esse hábito.

40. Quais são os seus planos para 2017?
Não gosto muito dessa coisa de criar planos ou metas porque, consequentemente, surgem as expectativas e todos sabemos que esse tipo de coisa não faz bem. Logo, criemos todos unicórnios. Contudo, tenho sim uns objetivos mais amplos no sentido de seguir com a minha ~jornada de autoconhecimento~, continuar amando histericamente as coisas que me fazem bem, estreitar laços de amizade que começaram este ano, manter a prática do desapego (tanto de coisas materiais, quanto de pensamentos e/ou hábitos). Quero continuar registrando para me lembrar, principalmente na forma de palavras, mas também penso em imagens. Ah, claro, quero ler mais. Sempre quero ler mais.

***

Chegamos ao fim deste gigantesco post e também deste fatídico ano que, convenhamos, pouco deixará de saudades. Se você seguiu com a leitura até aqui, meu muito obrigada. Se você desistiu no meio do caminho, muito obrigada também. Quero registrar agradecimentos e mandar abraços para todos os que acompanharam minhas aventuras e creicices neste prestigioso espaço durante o ano que nos deixa. Muito obrigada pelos comentários e muito obrigada também por ler e não deixar comentários. Se as asneiras por aqui publicadas deixaram os seus dias melhores, eu também agradeço pela oportunidade de ajudar. Também quero agradecer à este bloguinho por me permitir ser do jeito que sou, mesmo que isso signifique a personificação de páginas da world wide web. Por fim, mas jamais menos importante: Tati, Mia, Manu e Sharon, muitíssimo obrigada pela amizade, pelas conversas e pelo apoio dentro e fora das ciladas. I had the time of my life fighting dragons with you. ❤

Para todos nós, recomendo que em 2017 sejamos corajosos e gentis. Desejo, de coração, que a Força esteja conosco. É isso. Um feliz ano novo para vocês! ❤
#BEIJOSDELUZ


Deixe um comentário