Firme e forte - ainda que de forma lenta - em minha missão de fazer algumas leituras temáticas nesta época do ano, não poderia cogitar a leitura de contos natalinos sem considerar o homem que inventou o Natal, também conhecido como Charles Dickens. A escolha foi o conto A história do parente pobre (The Poor Relation's Story), publicado em 1852.

***

O conto tem início durante uma confraternização familiar durante a época de Natal e todos estão se preparando para contar histórias, como parece ser a tradição. Michael, o narrador, é apontado como aquele que deve iniciar. Ele é o parente pobre do título e começa a sua história descrevendo convicções a seu respeito tidas por seus familiares: ele já é um homem de meia idade, mas não construiu um patrimônio, vive de uma pequena pensão, é considerado um fracasso - tanto por não ter correspondido às expectativas de seu tio rico, quanto por ter sido ingênuo ao se deixar ser enganado pela mulher que amou e por ter confiado demais nas pessoas - e é completamente dependente da caridade alheia. É nesse ponto que ele avisa que todos ali estão errados e que o que ele acabou de descrever não é a sua vida, passando então a contar o que considera a sua verdadeira história. 

E é só até aqui que vou contar porque o interessante é se deixar levar pelas palavras de Michael. Contudo, não vou mentir: é um conto triste e doloroso e o sentimento aumenta após a reviravolta no final. Ainda assim, estamos falando de uma história bem escrita e que, creio eu, tem como aspecto natalino o fato de chamar atenção para aqueles menos afortunados, que vivem às margens da sociedade em e que precisam de cuidado. É uma reflexão muito válida e bonita para o Natal e que deve ser lembrada em qualquer época do ano.

Penso que uma leitura mais analítica é capaz de encontrar mais mensagens e significados no texto, que em alguns momentos lembra Um conto de natal - que é muito mais otimista - e que, com certeza, também esconde algumas críticas à sociedade vitoriana. Ainda que não seja uma história para aquecer o coração, recomendo a leitura.
Encontrei essa edição de forma ~misteriosa~ enquanto passeava despretensiosamente em um sebo. O livro é dividido em quatro partes e A história do parente pobre está na que é chamada de Christmas Stories (1850-1867). Em uma rápida pesquisa no Google, descobri que o conto também está na coletânea Os melhores contos de Charles Dickens, que fez parte de uma coleção publicada pela Círculo do Livro, em 1996.



2 Comentários

  1. Dickens é um autor que eu tenho muita curiosidade de conhecer. Ele é muito bem recomendado e tenho certeza que será uma leitura enriquecedora. Gostei da premissa desse conto, apesar de ser triste, e vou tentar encaixá-lo nas leituras desse ano ainda.

    Beijos, Gabi
    Reino da Loucura

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Gabi :)
      Dickens é um autor que me desperta a curiosidade há anos e eu sempre enrolo para começar a ler seus livros. Até agora, além do conto do post, li "Um conto de Natal"; recomendo ambos.
      Ano passado comecei a ler "Oliver Twist", mas pausei. Espero retomar em 2017. Espero que você consiga conhecê-lo também :)
      Beijos e obrigada pela visita!

      Excluir