Se o fim de semana passado foi totalmente atípico, este foi um tradicional exemplo da minha essência Bolseiro de Bolsão. Não saí de casa, fiquei de pijama o tempo todo e pouco fiz além de dormir. E é sobre esses dois dias de vários nada que pretendo falar hoje.

***

10/12/2016
Acho que acordei por volta das 10h30, mas devo ter enrolado uma boa meia hora antes de me levantar e me dirigir para a cozinha. Como sempre, iniciei meu fim de semana com um resto de manhã dedicado à café e contemplação; assim, enquanto comia lentamente meu pedaço de chocotone e bebia uma generosa dose de cafeína, a trilha sonora era a playlist especial de retrospectiva montada pelo Spotify. Comecei o dia no maior estilo rock-farofa-porém-sentimental ao som de Every Rose Has Its Thorn, do Poison.
Depois de tomar um banho para afastar o sono e vestir outro pijama, percebi que ainda estava com preguiça e que não queria fazer nada além de ficar deitada assistindo qualquer coisa. Foi então que resolvi colocar em prática uma ideia que tive no começo de novembro: assistir As Relíquias da Morte - Partes 1 e 2 em sequência. Nunca tinha feito isso - aliás, apesar de gostar dos filmes de Harry Potter, esses dois foram assistidos poucas vezes por esta que vos escreve. Entre um filme e outro, senti fome e, como a preguiça falou mais alto, pedi comida chinesa. Agora, se me permitem, gostaria de compartilhar as sortes que vieram nos biscoitos (porque sim, o pessoal do restaurante me mandou dois e eu fiquei super feliz):

Para pensar

Aí, resolvi que estava com vontade de ler, mas não queria ler Oliver Twist. Então, iniciei minha releitura de O lar da Srta. Peregrine para crianças peculiares. Acho que li por uma hora, mais ou menos, quando me lembrei de que não tinha programado o post de ontem - o que fazia todo o sentido do mundo, já que não tinha post pronto para programar, oras - e, por isso, improvisei a minha lista de dez músicas mais escutadas em 2016. Depois disso, terminei a minha noite comendo pizza e maratonando Keeping Up With The Kardashians (AND I REGRET NOTHING).

Considerações musicais dignas de nota - parte 1: 1) o álbum do Poison tem uma das capas mais feias que eu já vi na vida; 2) escutei a música que o Louis Tomlinson lançou e gostei da letra, mas achei que não combinou com aquelas batidas de música do David Guetta. Contudo, me emocionei com a apresentação no X-Factor.


***

11/02/2016
Acordei na hora do almoço e eis um resumo do dia: 
Almoço. Banho. Pijama. Passei a tarde sentada, com o computador no colo, escutando Fleetwood Mac, bebendo chá e comendo tapioca e chocolate, enquanto respondia os comentários do Blogmas (gente, o Blogger escondeu meus comentários e é por isso que demorei para responder, sorry) e lia os posts das migas de cilada. Fiz algumas pausas para conversar com as elas no chat do site feice, fazer a tapioca que comi e maratonar a segunda temporada de Fuller House - que tá um amorzinho e eu tô economizando os episódios. 
Danny*

Tinha planos de terminar o dia gravando alguns vídeos para o canal, mas a preguiça falou mais alto, de modo que nada fiz em relação a isso. No momento, estou decidindo se 1) já deixo o post de amanhã pronto e 2) se envio ou não newsletter na calada da madrugada. São questões. É provável que eu não faça nenhum dos dois e termine a noite assistindo algo na Netflix e/ou lendo.
Selfie tirada poucos minutos antes de começar a escrever o post com o único intuito de deixar o post mais dinâmico ao utilizar imagens. Como vocês sabem, sou uma ~blogueira~ muito comprometida.

Considerações musicais dignas de nota - parte 2: 1) já ~desliguei~ o som, mas Rhiannon tá tocando na minha cabeça em loop; 2) sim, já escutei a música da Taylor Swift feat. gArOtO nOrMaL dE vInTe E tRêS aNos e achei bem legal.




Deixe um comentário