Não é de hoje que flerto com a ideia de começar um diário de leitura por aqui. Faz meses que a ideia começou a passear por meus pensamentos e finalmente resolvi colocar em prática. Gostaria de dizer que isso se deu porque consegui me definir sobre como os registros seriam feitos, mas eis a verdade: são 2h20 da manhã de segunda-feira e eu não consigo dormir porque 1) às vezes sofro de insônia e 2) tá um calor absurdo (verão, te amo, mas pegue leve). Assim, pensando com meus botões, resolvi sentar em frente ao computador e comecei a digitar sem muito critério. Para conferir o resultado, basta continuar lendo.

Por que sempre que faço isso, a folha fica feia?

Continue lendo »


Antes de começar, preciso dizer uma coisa: eu adoro o Johnny Depp. De verdade, desde que tinha 13 anos e comecei a me interessar minimamente por cinema. Na época, Johnny passava por um momento de transição, saindo da categoria astro-conhecido-mas-meio-alternativo para pirata-de-super-produção. E nem preciso dizer que Michelle de 13 anos, que só foi ao cinema para ver o Legolas de pirata, saiu de lá completamente apaixonada por Jack Sp Capitão Jack Sparrow, né? Ok.

(pausa para ignorar o fato de que ele sempre foi e sempre será velho o suficiente para ser meu pai)
O fato é que, desde então, procuro, na medida do possível  - e, atualmente, de forma mais equilibrada (leia: evitando ataques de fangirl e, claro, parando de me autodenominar Sra. Depp) - demonstrar a minha admiração pelo ator; e faço isso de forma bem simples: assistindo a seus filmes e, eventualmente, compartilhando gifs e fotos no Tumblr.

Gosto de pensar que o acalmar de ânimos veio em decorrência do passar dos anos e da chegada da maturidade (pfff, who am I kidding?), que me permitem admirar um artista com certo distanciamento e apreciando o seu trabalho. Mas a verdade é mais dura e cruel: tenho me interessado menos pelo Johnny porque os filmes dele estão pavorosos. Não sei precisar exatamente quando foi que isso aconteceu, mas creio que foi em meados de 2010, quando aquela bomba que atende pelo nome Alice no País das Maravilhas chegou aos cinemas. A decepção e o choque foram tão grandes que eu - que sempre contrariei aqueles que diziam que suas atuações eram sempre Jack Sparrow com pequenas alterações -  não pude mais defender. O HORROR, meus caros, o HORROR.

Continue lendo »


Deixa eu contar uma coisa para vocês: eu ando com saudades de escrever por aqui. Porém, indecisa que sou, não queria escrever por aqui (migos, sou pisciana, tenham paciência). Não me levem a mal, não é nada pessoal, é só que ando meio sem saber ao certo como vou manter o canal e o blog este ano. A ideia, como disse em um post anterior, é continuar registrando as minhas leituras - só não sei como farei isso. Sinto que essa coisa de produzir o mesmo conteúdo para o blog e para o canal não está mais funcionando para mim, tanto porque exige mais, quanto porque não tem mais me feito feliz. Coisas precisam ser mudadas.

Brace yourselves, meus caros,  porque agora sou a louca dos gifs.

Continue lendo »