Já que chegamos ao fim da primeira semana de BEDA sem desespero, descabelamento e vontade de correr para as montanhas, acho que posso declarar essa primeira fase do desafio um sucesso! Ainda que eu tenha certeza de que o post de hoje sairá na madrugada do dia seguinte e não tenha a menor ideia do que será o post de amanhã (risos). Como sábados são dias meio ~mortos~ na internet, decidi que farei deles os dias dos resumos. Vi esse tipo de post rolando no BEDA do ano passado em diferentes blogs e achei muito legal. Pensei em começar falando sobre alguns acontecimentos que marcaram a minha semana, compartilhar algumas fotos e depois partir para os links.

Em linhas gerais, minha vida é bem tranquila, sem grandes acontecimentos diários e que fujam da rotina. Contudo, achei que essa última semana foi especialmente calma e não minto ao dizer que, eventualmente, comecei a funcionar no modo automático porque o frio resolveu dar as caras e, como sabemos, não sei lidar com dias frios. Eles me deixam realmente mal e eu preciso constantemente realizar exercícios mentais para me lembrar de que vai passar, logo esquenta, é só uma fase. No departamento ~cultural~, andei bem procrastinadora e continuei me atrasando em todas as séries e rewatchs que me proponho a realizar, além de não avançar muito nas leituras. Irei poupá-los do que diz respeito à Vida Adulta™, porque não há nada de novo sob o sol, ela continua um eterno 7x1. Mas tudo bem, vida que segue, tem um BEDA que não vai se escrever sozinho, não é mesmo? Então, se me permitem, vou partir para os highlights da semana. Shall we begin?

30/07/2017 
Foi um típico domingo preguiçoso, no qual cozinhei com minha mãe e depois passei a tarde lendo e escutando música na varanda ensolarada. Um dos livros da vez é Os Goonies, de James Khan, uma romantização do filme clássico da Sessão da Tarde. Apesar de ter começado a leitura bem empolgada, em algum ponto da semana, simplesmente perdi o interesse (certeza de que é o frio, que me tira de mim), mas não pretendo abandonar, já que é só amor e nostalgia. Passei o início da noite assistindo aqueles programas de reforma de casa e de culinária do Discovery Home & Health até o momento mais aguardado do domingo: Game of Thrones. São só dois três episódios até agora, mas tô amando a temporada!
31/07/2017 
Fui com minhas amigas Bia e Alessandra ao Parque do Ibirapuera. Apesar do céu com nuvens, não choveu e o sol até nos agraciou com a sua ilustre presença. Acho que a última vez que fui ao parque foi quando ainda era criança, então foi legal visitar o lugar novamente e perceber que minha memória não está tão ruim assim, apesar de ter me perdido um pouco (risos). Fizemos um piquenique, nos atualizamos sobre a vida, colocamos a conversa em dia e, claro, trocamos livros. Os novos habitantes da minha estante são Invenção e Memória, de Lygia Fagundes Telles, e The Magicians, de Lev Grossman, que é o primeiro de uma série. Alguém aí já leu algum desses? Se sim, o que achou?



01/08/2017
Foi um dia bem normalzinho e sem graça, no qual meu maior arrependimento foi perder  o horário da academia. Aí, fiz esteira no condomínio e, pela primeira vez, reparei no canteiro que fica na entrada da área de ~lazer~ e ~esportes~. Achei que valia o registro, considerando que passei na frente do local quase diariamente pelos últimos 24 anos.
02/08/2017
Esse foi um dia meio ~estranho~, pois já acordei meio fora de mim. Impaciente, ansiosa, sem vontade de lidar com pessoas e me sentindo bem exausta por isso. Provavelmente porque não dormi muito e/ou bem. Passei o dia todo meio angustiada e quando já estava prestes a me declarar derrotada, decidi que o céu estava muito ensolarado e bonito para deixar a bad tomar conta. Acabei me permitindo alguns minutos de sol e, no fim da tarde, fui caminhar enquanto escutava música. Era tudo de que eu precisava. O clima estava fresco, respirei bastante enquanto meu corpo se exercitava e terminei a atividade me sentindo plena. Façam exercícios, sério. Perdoem o registro fotográfico meio medíocre e tremido; é o detalhe de um canteiro perto da pista de caminhada.

03/08/2017
Um dia bem melhor que o anterior, em termos emocionais, porém bastante introspectivo. Entre os fatos marcantes estão a playlist da Manu - que me fez companhia e, de certa forma, foi um self-care -, o almoço que eu mesma preparei e ficou ótimo e o cano que dei na academia e que, no fim, acabou servindo como pontapé inicial para o post do dia. Não tem foto porque esqueci de tirar. Midesgulpem, prometo melhorar.
04/08/2017
Não tenho muito o que falar sobre esta sexta-feira, porque foi um dia realmente não memorável. Não fiz nada de muito diferente e creio ter passado a maior parte do tempo pensando no quanto estava frio e em como não fui programada para lidar com esse tipo de clima. A melhor coisa foi, sem sombra de dúvidas, o chocolate quente fumegante que bebi no fim da tarde (e que também não fotografei, foi mal, não desistam de mim, pfvr).
05/08/2017
Respeitando as minhas ~tradições~ de fim de semana, dormi até tarde e escutei música enquanto bebia meu café e contemplava a condição humana no século XXI #profunda. Na hora do almoço, um vizinho interfonou e perguntou se poderia passar em casa para conversar com meu pai. Mesmo com todas as indiretas de que não seria um bom momento, o sujeito deu as caras por aqui e a conversa demorou uma hora. A hora sagrada do almoço. Sábado. As pessoas perderam a noção. Por fim, passado o inconveniente, todo mundo almoçou e teve bolo de chocolate sendo assado, conversas, vinho e vídeos de boyband no YouTube. A foto representa tudo o que fiz e pretendo continuar fazendo assim que publicar o post.

***

Caso você tenha chegado aqui agora e/ou não tenha conseguido acompanhar os posts da semana, segue a listinha:

- Vou escrever para me lembrar: o retorno, no qual falo um pouco sobre a vida nos últimos meses, reflito sobre escrever e introduzo essa nova edição de BEDA;
- Pra sempre sempre acaba, no qual comunico minha decisão de parar com o canal no YouTube e explico os porquês;
- What the fucks que escutei na academia (e o que gostaria de ter respondido), no qual listo situações reais e respostas imaginárias;
- Opiniões impopulares sobre cultura pop, no qual faço exatamente o que está no título, ao responder a tag Diferentão.

Infelizmente, durante a semana, não consegui acompanhar tanta gente quanto gostaria, mas mesmo assim vou compartilhar alguns dos posts que aqueceram o meu coração:

- Se tem uma sensação que me ocorreu algumas vezes nos últimos dias é que, de vez em quando, a Manu é eu e eu sou a Manu. Digo isso porque ultimamente tenho me identificado muito com o que ela tem escrito. Em Bedar ou não bedar, ela fala sobre a decisão de se jogar nessa cilada mais uma vez e relembra a experiência do ano passado de uma forma muito linda; também adorei as dicas de Como sobreviver ao inverno.
- A Tati me encantou com Destinatário: Frederico, uma carta aberta póstuma bastante sentimental.
- Dei boas risadas com os Vários flertes com Tiago Iorc, da Natália Nambara.
- A menina mais bonita da faculdade, da Sharon, que claramente não sabe escrever nada ruim e me faz desejar ser como ela quando eu crescer.
- TOP 6 Homãos do passado, no qual  Mia lista algumas "belezas que o tempo levou". Crush alert! Crush alert! Crush alert! É daqueles que fazem bem aos olhos; muito inspirador. Pfvr, leiam.

E se você comentou por aqui durante a semana, muito obrigada! Prometo que vou responder tudo e retribuir nos próximos dias. ♥

***

Para finalizar, o Last.Fm me informou que a música da semana foi Learning to Fly, de Tom Petty and The Heartbreakers. E faz todo o sentido do mundo, já que a música é uma das minhas preferidas de uma das minhas bandas preferidas do momento. Como sabemos, Tom Petty é um artista pelo qual tenho uma simpatia gratuita e sempre sinto uma alegria genuína sempre que escuto; basta escutar as músicas dele para perceber o porquê.

some say life will beat you down,
break your heart, steal your crown
so i've started out, for god knows where
i guess i'll know when i get there



2 Comentários

  1. Eu adoro essa musica do Tom Petty, amiga <3 é possível que tenha sido a primeira dele que eu ouvi por motivos de Elizabethtown. Esse print do seu last.fm é muito vc!!! E eu fiquei feliz pra chuchu com seus comentários sobre minha playlist <3 <3 <3 AMIGA, SOMOS A MESMA PESSOA SIM ehehehe
    :***

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amiga, acho que Learning To Fly está entre as primeiras músicas que escutei do Tom Petty também, totalmente por influência de Elizabethtown <3 (o melhor filme problemático que a gente ama e respeita)
      Eu fiquei muito surpresa com o quanto esse print do Last Fm me representa! AHAHAHHAHA
      Sua playlist é muito amor, eu escuto sempre :)
      E sim, definitivamente somos a mesma pessoa AHAHAHHAA

      Beijos

      Excluir