Hoje foi um dia de cão. Então, se me permitem - e é claro que permitem porque quem manda nesse negócio aqui sou eu -, irei, tal qual minha amiga Sharon, me utilizar de um meme para não deixar a peteca cair de vez. Como estou com vontade de falar sobre livros, decidi responder a Guilty Reader Tag, criada pela mocinha do canal Read Like Wild Fire e que vi a Catriona, do Little Book Owl, respondendo. Pelo título, a proposta do meme é confessar nossas culpas enquanto leitores e eu só me dei conta disso depois de já ter respondido as questões (risos). Para ser franca, não me senti muito culpada, mas tudo bem porque foi legal responder. #eu
Já presenteou alguém com algum livro que você ganhou de presente?
Não sei se presentear seria a melhor palavra; mas, de certa forma, sim, já fiz isso. Sempre que faço aquela faxina anual na minha estante, separo os livros que vão embora. Aí, pergunto para minha irmã e duas amigas se elas têm interesse em algo. Se sim, então ~dou de presente~ para elas. Se não, ~dou de presente~ para uma biblioteca.

Já disse que leu algum livro quando, na verdade, não leu?
Claro! Apesar de me dedicar nas aulas de literatura do colégio, algumas das leituras obrigatórias simplesmente não rolaram. Nesses casos, o procedimento padrão era procurar resumos e análises na internet e marcar o quadradinho de 'sim, li o livro' no topo da prova (Sagarana, estou olhando para você). Na faculdade, em duas situações fiz isso, só que, como eram leituras para atividades complementares, não fez muita diferença.

Já pegou algum livro emprestado e não devolveu?
Não. Até hoje sofro pelos livros que emprestei e nunca mais vi, por isso, nunca imponho tamanha dor à outros leitores. É muita mancada. Por favor, não façam isso. Contudo, já aconteceu de alguns livros completamente aleatórios aparecerem aqui em casa e, como até hoje não encontrei seus donos - e eu fui atrás deles! -, tomei a liberdade de colocá-los na minha estante e chamá-los de meus.

Já leu alguma série fora de ordem?
Por incrível que pareça, sim. Depois que terminei de assistir a 3ª temporada de Game of Thrones, em 2013, decidi que não poderia, sob hipótese alguma, esperar um ano para saber o que iria acontecer. Assim, uma amiga me disse em que ponto de A Tormenta de Espadas, terceiro livro, a história continuaria. Li o livro até o final e depois parti para O Festim dos Corvos. Aí, quando cheguei à A Dança dos Dragões, empaquei e resolvi voltar para o começo, quando li A Guerra dos Tronos (SDDS, NED). Algum tempo depois comecei A Fúria dos Reis, que está parado desde o ano passado. Como continuei acompanhando a série da HBO, não me martirizo muito por conta dessa confusão. Um dia ainda quero continuar a leitura. Quando isso vai acontecer? Não sei. Provavelmente quando G.R.R. Martin tiver terminado de escrever.

Já deu spoiler de algum livro para alguém?
Sinceramente, não me lembro. Já aconteceu de me pedirem spoilers e eu contar o que acontece. Mas acho nunca deixei alguma informação escapar de forma acidental. Detesto pegar spoilers das coisas e sempre fujo, por isso, me certifico de perguntar o que a pessoa sabe da história antes de comentar algo.

Já dobrou a página de algum livro para marcar?
Com certeza. Não é um hábito que eu tenha hoje, mas fazia isso nos tempos de colégio. Gostava de marcar as páginas com alguma informação importante ou nas quais tinha escrito algo que precisava lembrar na prova. Hoje opto pelas flags coloridas. 

Já disse para alguém que você não tem um livro quando, na verdade, tem?
Não, mas acho que deveria começar a fazer isso. Não é sempre que as pessoas me pedem livros emprestados e, na maioria dos casos, são sempre familiares. Então, não tenho muito problema em emprestar. Só que sabe quando a pessoa é meio ~descuidada~? O coração pesa sempre que empresto livros para pessoas assim.

Já disse que nunca leu algum livro quando, na verdade, já leu?
Não e, realmente, não entendo muito o porquê de fazer isso. Acho que tem um pouco a ver com aquela coisa de guilty pleasure e, como sabemos, eu acho esse tipo de pensamento meio nada a ver. É aquela história: a leitura está te prejudicando ou fazendo mal à outras pessoas? Se a resposta for não, então se joga e seja feliz! Os sentimentos são sempre os únicos fatos, meus caros.

Já pulou um capítulo ou trechos de algum livro?
Mas é claro! Até hoje me lembro do capítulo de número sete (acho) de As Cidades e as Serras, do Eça de Queiroz, sobre o qual só tive conhecimento por meio de resuminhos de colegas. Era um trecho em que Jacinto, o chato protagonista, e seu amigo, José Fernandes, estão indo para o campo e perdem as bagagens no trem. Achei essa parte bastante enfadonha e pulei mesmo, sem dó. Na faculdade, tinha muito aquilo de ler só a parte que era importante para trabalhos e provas e, como tempo era escasso, também fazia isso sem culpa. Agora, falando das leituras que faço por diversão, depende. Quando ainda há interesse pela história, mas cheguei em algum trecho meio ~chato~, começo a passar os olhos bem rápido por alguns parágrafos só para dar aquela ~adiantada~. Porém, se percebo que a leitura não tá significando nada, prefiro largar tudo mesmo. A vida é curta e tem outros livros.

Já falou mal de algum livro que, na verdade, você gostou?
Olha, depende do que se entende por "falar mal". Acho importante ter senso crítico e, por isso, às vezes acontece de eu esbarrar em algum livro do qual tenha gostado, mas que traga alguns aspectos pouco interessantes e até problemáticos. Quando isso ocorre, procuro destacar na resenha-texto-whatever. É completamente possível gostar de alguma coisa e ainda assim, encontrar defeitos nela. Porém, se por 'falar mal' estamos sendo mais ~literais~, minha resposta é não porque, de novo, parece que entramos na questão do guilty pleasure. Preguiça, muita preguiça desse pensamento.



Um Comentário

  1. Eu amei as questões! É meio difícil eu não gostar de discorrer sobre livros, na verdade, então basta eles serem o foco pra eu ficar interessada, mas tá valendo mesmo assim, haha
    Acho que vou fazer ela uma hora. =)

    ResponderExcluir